PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Visita do PSG a Belgrado reforça desigualdade no futebol

Misha Savic e David Hellier

11/12/2018 15h49

(Bloomberg) -- Não será difícil ver o abismo entre ricos e pobres do futebol quando o Paris Saint-Germain visitar o Estrela Vermelha, em Belgrado, no jogo pela Liga dos Campeões, nesta terça-feira à noite.

Com o craque brasileiro Neymar e o prodígio francês Kylian Mbappé na escalação, o PSG conta com sete jogadores que valem, cada um, mais no mercado de transferências do que todo o time do Estrela Vermelha. Financiado pela enorme riqueza do Catar, o PSG afirma ter 65 milhões de torcedores em todo o mundo. Isso é quase 10 vezes a população da Sérvia.

Mas o Estrela Vermelha tem algo que o clube francês quer muito: uma Copa da Europa. Em 1991, a União Soviética e os Bálcãs estavam se fragmentando e a equipe da então capital da Iugoslávia ergueu o máximo troféu continental, precursor da Liga dos Campeões.

No entanto, o ano seguinte seria a última vez que o clube passaria as rodadas preliminares e se qualificaria para a fase de grupos da competição atual. E agora, mesmo que vença o PSG, o Estrela Vermelha não tem chance de passar para a etapa eliminatória. Na partida em Paris, em outubro, o Estrela Vermelha foi derrotado por 6 a 1.

"O risco para clubes como o Estrela Vermelha é existencial -- uma ou duas temporadas ruins podem colocar em risco nossa existência", disse Stefan Pantovic, diretor operacional da equipe de Belgrado. "Mas os clubes mais fracos sempre deveriam ter a chance de jogar contra os mais fortes. É o que o público quer e, embora os clubes maiores achem que podem obter direitos de TV mais caros, esse momento Davi x Golias também atrai público."

Disparidade

Além das restrições financeiras dos clubes do leste europeu em suas próprias ligas domésticas, eles agora têm mais dificuldade para se classificar para a Liga dos Campeões porque esse torneio está voltado para as cinco grandes ligas -- Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França.

O plantel do Estrela Vermelha vale atualmente 43 milhões de euros, segundo o site de transferência de jogadores online Transfermarkt. O do PSG vale 20 vezes mais. A receita do clube de Paris foi de 486 milhões de euros na temporada 2016/17 e a Football Money League da Deloitte estimou a receita com a transmissão de jogos em 122 milhões de euros.

"Precisamos de um modelo de negócios sólido", disse Pantovic em entrevista de seu escritório em Belgrado. "E para isso é preciso haver uma liga local capaz de gerar direitos televisivos de pelo menos 3 milhões de euros por temporada para os cinco ou seis melhores clubes da Sérvia. Eu não vejo que isso possa acontecer por enquanto."