PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Produtores do Canadá estão aflitos à espera de chuvas

Ashley Robinson

22/02/2019 15h06

(Bloomberg) -- Parece que este será mais um ano de solos secos para os agricultores no Canadá, um dos maiores exportadores mundiais de trigo e o maior exportador de canola.

No outono passado, as chuvas foram tão abundantes que adiaram a colheita de grãos do país. Alguns produtores esperavam que o dilúvio ajudasse a reabastecer os solos, afetados pela seca durante todo o verão. No entanto, embora algumas melhorias tenham sido registradas, as chuvas não foram suficientes para superar os grandes déficits de umidade acumulados.

"Em comparação com o ano passado, acho que estamos em uma posição melhor", disse Patrick Cherneski, gerente do Serviço Nacional de Informações sobre Agroclima do Ministério de Agricultura e Agroalimentação do Canadá. "Mas desde 2017 a seca afeta um bom pedaço das regiões das Pradarias. Continuamos em déficit."

As condições de seca continuam afetando os campos nas Pradarias desde 31 de janeiro, de acordo com o órgão ministerial que monitora a seca. As áreas ao redor de Regina, Saskatchewan, estão enfrentando uma seca severa, e partes do sul de Alberta, Saskatchewan e Manitoba registram condições que vão de seca extrema à seca moderada.

"A menos que caiam mais chuvas, vamos entrar na primavera com um déficit hídrico, e então um bom começo da temporada agrícola vai depender das chuvas de primavera", disse Cherneski.

A neve caiu mais tarde do que o normal neste inverno, deixando o solo exposto a temperaturas frias por um longo período. Isso endurece os solos e torna mais difícil a absorção da umidade. As grandes nevascas de fevereiro podem ter chegado tarde demais para ajudar.

"Quando a neve derreter, ela derreterá antes que o solo se descongele", disse Drew Lerner, presidente e meteorologista agrícola sênior da World Weather. "Talvez a camada superior do solo, de 2,5 a 5 centímetros, se umedeça, mas só isso, todo o resto vai embora", disse ele, acrescentando que a neve é leve, com a consistência de pó, e não possui um conteúdo significativo de umidade.

"Acho que este não será um terceiro ano de seca, mas acho que vai ser um terceiro ano de frustração até chegarmos ao verão", disse Lerner.

O Pacífico equatorial aqueceu o suficiente para provocar uma reação da atmosfera condizente com os critérios americanos de um padrão climático El Niño, informou o Centro de Previsão Climática neste mês. Ainda assim, projeta-se que o padrão será fraco, o que significa que a precipitação para o Canadá só virá no final da primavera e no verão, disse Lerner.

"Muitos produtores vão acabar vivendo de chuva em chuva ou esperando que seja o suficiente para que a safra sobreviva e continue se desenvolvendo", disse ele.