PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Drones entregam remédios nos lugares mais remotos da Tanzânia

Ken Karuri

08/03/2019 11h39

(Bloomberg) -- Drones transportando sangue e remédios sobrevoam o Lago Vitória levando cuidados médicos vitais para alguns dos lugares mais remotos da Tanzânia.

Esse é o objetivo da estatal Comissão de Ciência e Tecnologia, ou Costech, que desde o fim de 2017 realizou dezenas de voos com drones em colaboração com a Wingcopter e com a DHL, pertencente à Deutsch Post, para Ukerewe, a maior ilha do lago. Repetindo uma iniciativa na vizinha Ruanda, o projeto-piloto já alcançou mais de 8.000 pacientes e poderia ajudar a revolucionar os serviços médicos no maior país da África Oriental.

"Conseguimos entregar antídotos a agricultores que haviam sido picados por cobras e precisavam de cuidados médicos rapidamente para evitar a amputação de membros ou mesmo a morte", disse George Mulamula, chefe do projeto na Costech. A próxima etapa, segundo ele, é conseguir financiamento para aumentar os carregamentos médicos dos drones de seis para 45 quilos e ampliar o alcance para todas as mais de 80 ilhas da Tanzânia no maior lago da África.

Este é um projeto que pode ser especialmente bem-vindo na Tanzânia, que tem o dobro do tamanho da Califórnia e cerca de 57 milhões de habitantes. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) afirma que a proporção de gastos do governo destinados ao setor de saúde diminuiu nos últimos cinco anos e continua abaixo do necessário para oferecer serviços básicos. Malária, HIV/aids e tuberculose são as principais ameaças à saúde.

'Em tempo hábil'

"Conheço lugares tão remotos na Tanzânia que o Departamento de Lojas Médicas (MSD, na sigla em inglês), administrado pelo estado, pode precisar de vários dias para entregar suprimentos médicos", disse Syriacus Buguzi, um médico defensor da saúde pública na capital comercial do país, Dar es Salaam, localizada a cerca de 800 quilômetros do lago. "Fundamentalmente, as vidas das pessoas são transformadas por meio da entrega de medicamentos e suprimentos médicos em tempo hábil", disse, comemorando o possível impacto dos drones.

Até o momento, o projeto recebeu 150.000 euros (US$ 169.590) em financiamento da empresa Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit, ou GIZ, em nome do Ministério Federal para Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha, disse Mulamula. O MSD contratou a GIZ e a Costech para executar o projeto.

Na fase de testes, quando os médicos locais da ilha de Ukerewe recebiam pacientes que necessitavam assistência -- como uma vítima de picada de cobra ou uma grávida que precisava de sangue --, enviavam mensagens de texto ao hospital de referência, na região de Mwanza. O tratamento, então, poderia chegar por drone em 40 minutos, disse Mulamula.

Ainda há um longo caminho a percorrer. O Lago Vitória é dividido entre Tanzânia, Uganda e Quênia, e a porção que fica no território da Tanzânia, por si só, ocupa uma área aproximadamente do tamanho de Ruanda. Mulamula disse que sua organização está trabalhando com o Banco Mundial e com outras instituições da Tanzânia para preparar a próxima fase.

"Vamos nos sentar com o MSD para ver como podemos implementar esse projeto em todas as ilhas", disse.