IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Uber enfrenta imposto sobre IPO em São Francisco dividida

Josh Eidelson

24/04/2019 18h30

(Bloomberg) -- A oferta pública inicial (IPO) da Uber, prevista para o próximo mês, significará uma recompensa massiva para muitos funcionários. Na cidade natal da empresa, São Francisco, a oferta também vai aumentar o receio de que que uma onda de IPOs de tecnologia ameace deslocar outras empresas sediadas na cidade e que estão sendo deixadas para trás. Um legislador de São Francisco planeja propor que as empresas de tecnologia compartilhem a riqueza.

O Supervisor de São Francisco, Gordon Mar, está circulando uma petição que, se aprovada pela maioria do conselho nas eleições de novembro, pode estabelecer um imposto sobre a folha de pagamento cobrindo a remuneração baseada em participação. A proposta, cujo rascunho foi obtido pela Bloomberg, vai significar um novo custo, "pelo privilégio de participar em negócios na cidade", para empresas que distribuem capital a funcionários.

Mar disse à força de trabalho local e a ativistas comunitários, em uma reunião na segunda-feira, que planeja anunciar a proposta na quarta-feira durante uma audiência do subcomitê e apresentá-la nas próximas semanas, afirmou Kung Feng, diretor executivo da Jobs With Justice San Francisco, uma coalizão de grupos trabalhistas e comunitários, que estão entre as organizações que defendem o imposto. Uber não quis comentar porque não viu a legislação.

"Sabemos que IPOs corporativos sozinhos não causaram desigualdade de renda e nossas crises sociais", deve dizer Mar na reunião de quarta-feira, de acordo com comentários preparados e compartilhados por seu escritório. "Mas eles exacerbaram e vão exacerbá-las. Então hoje eu estou anunciando uma proposta para taxar a riqueza gerada por IPOs para financiar programas para lidar com a desigualdade de renda."

Os IPOs de tecnologia este ano podem fazer milhares de novos milionários. Duas empresas de São Francisco, Lyft e Pinterest, abriram o capital no mês passado, alcançando um valor de mercado combinado de US$ 31 bilhões. A Redfin, corretora de imóveis, descobriu que o patrimônio criado apenas com a oferta da Lyft seria mais do que suficiente para atuais e ex-funcionários comprarem todas as casas listadas no mercado em São Francisco, em dinheiro. Quando a Uber for pública no próximo mês, estima-se que deva alcançar um valor de mercado de até US$ 100 bilhões.

A possível lei, que alguns chamam de "imposto IPO", reflete o desconforto em uma cidade com lembranças constantes da diferença de renda. Uma nova análise do gabinete de orçamento de São Francisco indica que as receitas de IPO no sistema tributário atual vão oferecer pouco benefício para a cidade, ao mesmo tempo em que vão elevar preços das residências. Mas há um longo caminho para se implantar uma nova lei. Para entrar em vigor, a petição precisa garantir o apoio majoritário do conselho de supervisores, obter a aprovação dos eleitores em novembro e sobreviver a quaisquer possíveis desafios legais das empresas afetadas.

A arrecadação do imposto seria usada em prol de moradias populares, dos trabalhadores de baixa renda, da educação, entre outros, segundo Feng, uma das várias pessoas informadas sobre os planos e que conversaram com a Bloomberg. Os IPOs deste ano vão "criar uma grande desigualdade e deslocamento, e nós, como cidade, precisamos que as empresas paguem seu quinhão e sejam bons vizinhos", disse Feng. "O imposto IPO é um passo em direção a isso."

Economia