PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Clube de luxo em Filadélfia cobra mais de sócios com mais idade

Claire Ballentine

10/07/2019 14h48

(Bloomberg) -- O Fitler Club, inaugurado no mês passado em Filadélfia, tem como objetivo se diferenciar no espaço exclusivo de clube social com uma fórmula original de trabalho e lazer para clientes VIP.

Projetado pela empresa de arquitetura M-Rad, de Los Angeles, o clube possui uma área de 12 mil quadrados no coração do Center City, com 3 mil metros quadrados de espaços de trabalho e escritórios e 14 quartos de hotel.

Há também uma academia de saúde e bem-estar de primeira linha, um espaço de quase 2,8 mil metros quadrados que o fundador David Gutstadt descreve como "um equinócio de alto nível", com aulas e treinamento personalizado.

Então, depois de um treino puxado, os sócios podem relaxar na sala de cinema de 50 lugares, jogar um pouco de boliche ou reabastecer em um dos dois restaurantes ou três bares comandados pelo chef Marc Vetri.

"Observamos que as pessoas vêm aqui e não saem", disse Gutstadt. "Podem passar um dia inteiro aqui. Você não pode passar um dia inteiro em sua academia."

O clube conta atualmente com 1,5 mil sócios, e a lista de espera é longa, segundo Gutstadt. Todos os sócios passam por um filtro intensivo de seleção, pensado para selecionar líderes, conectores e influenciadores. Ele diz que 80% dos primeiros 500 sócios eram fundadores e CEOs de alto nível.

O clube já tem uma lista de celebridades e investidores, como Michael Forman, fundador da FS Investments, David Robinson, veterano da NBA, e Zach Ertz, do Philadelphia Eagles."Estamos criando um hub para todos os líderes e pessoas influentes da cidade", diz Gutstadt. "É um local voltado para a saúde, onde as pessoas podem se reunir e criar."

Embora os clubes que cobram taxas de acesso para lounges e restaurantes sejam comuns nas grandes cidades, o Fitler Club diz que é o primeiro a combinar entretenimento, fitness, bem-estar e negócios sob o mesmo teto.

Outro diferencial é sua política de preços.

De acordo com o site do clube, os sócios com menos de 30 anos pagam US$ 225 por mês. Na faixa entre 30 e 50 anos, o preço sobe para US$ 300, e os sócios com mais de 50 pagam US$ 400. Uma diferença de US$ 1,2 mil por ano apenas pelo fato de ter meio século de idade.