PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Depois de 20 anos, Jack Ma deixa comando do império Alibaba

Venus Feng

10/09/2019 10h28

(Bloomberg) -- Jack Ma deixa o comando do Alibaba Group depois de liderar um espetacular processo que o transformou na segunda pessoa mais rica da Ásia.

O ex-professor de inglês renunciou ao cargo de presidente do conselho de administração da maior empresa da China em seu aniversário de 55 anos, depois de acumular uma fortuna de US$ 41,8 bilhões - um tesouro superado na Ásia apenas pelo indiano Mukesh Ambani, de acordo com Índice de Bilionários Bloomberg. Sua ascensão meteórica de um empreendedor que trabalhava em seu apartamento em 1999 a um magnata do comércio eletrônico é digna de entrar para os livros de história, espelhando a própria evolução da China.

Ao longo de duas décadas, Ma e os cofundadores do Alibaba transformaram um marketplace business-to-business em um titã de US$ 460 bilhões que superou EBay e Amazon.com. O Alibaba opera uma das maiores empresas de computação em nuvem do mundo e administra uma rede de logística que entrega milhões de encomendas todos os dias. O empresário mais famoso do país entregou o bastão na terça-feira ao CEO do Alibaba, Daniel Zhang -- uma transição importante para a maior companhia da Ásia.

Ma se tornou a pessoa mais rica da Ásia em 2016, ultrapassando Wang Jianlin, presidente do conselho do conglomerado Dalian Wanda. O título agora pertence a Ambani, presidente do conselho da Reliance Industries, cuja fortuna soma US$ 47,4 bilhões, de acordo com o ranking da Bloomberg com as 500 pessoas mais ricas do mundo.

Ma não é a única pessoa a ficar rica com o fabuloso império do Alibaba. A trajetória da empresa, em certo momento, criou pelo menos outros 10 bilionários em seu ecossistema, que inclui uma empresa de entrega de encomendas, um supermercado e uma unidade de pagamentos on-line. Apesar de deixar o cargo, espera-se que Ma continue sendo fundamental para uma máquina industrial em expansão, tendo como foco o comércio eletrônico.

"Neste momento, ainda é improvável que Zhang tome decisões importantes sem o apoio de Ma", disse Brock Silvers, diretor-gerente da Kaiyuan Capital, consultoria em investimentos com sede em de Xangai.

--Com a colaboração de Pei Yi Mak.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net