Bolsas

Câmbio

Governo polonês pretende reduzir pensões de antigos agentes do comunismo

Varsóvia, 25 nov (EFE).- O governo da Polônia estuda uma redução drástica das pensões que até agora recebem os agentes de segurança do antigo regime comunista (1945-1989), cuja quantia é geralmente superior à média do que o resto dos poloneses.

A medida poderia afetar cerca de 32 mil ex-funcionários que trabalharam às ordens do comunismo.

"Queremos restaurar a justiça social na Polônia", indicou nesta sexta-feira a respeito a primeira-ministra polonesa, Beata Szydlo.

"Um quarto de século depois do fim do sistema comunista na Polônia, os funcionários que serviam a esse sistema criminoso ainda se beneficiam de pensões elevadas", que frequentemente são muito mais altas que as pensões recebidas por pessoas que sofreram com a repressão durante essa etapa, acrescentou Szydlo.

Por sua vez, o ministro do Interior da Polônia, Mariusz Blaszczak, afirmou que o Estado economizaria com essa medida ao redor de 500 milhões de zloti anuais (113 milhões de euros).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos