PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Mercosul debate estratégias para fortalecer o bloco em Assunção

18/04/2018 15h45

Assunção, 18 abr (EFE).- O fortalecimento do Mercosul através da melhoria dos mecanismos de facilitação do comércio, assim como o avanço das negociações com países asiáticos como a Coreia, são parte da agenda que será tratada a partir desta quarta-feira pelos coordenadores nacionais do Grupo Mercado Comum (GMC) - o órgão executivo do bloco - no Paraguai.

Na reunião, na qual, além dos membros do Mercosul, participa o representante da Bolívia, serão seguidas as coordenadas traçadas no encontro ocorrido há um mês, também em Assunção, disse o vice-ministro paraguaio de Relações Econômicas e Integração, Luis Fernando Avalos.

Avalos explicou na apresentação desta reunião ordinária que nela será abordado o fortalecimento econômico e comercial do Mercosul e aspectos inovadores como mecanismosque, em princípio, seriam muito benéficos para o comércio do bloco.

O vice-ministro paraguaio acrescentou que entre os temas que serão discutidos está a "complementaridade com as organizações financeiras internacionais", o avanço no plano de comunicação do Mercosul e o "relacionamento externo".

Dentro desse último tema, Avalos disse que será analisada "a futura negociação com a Coreia, as boas perspectivas do Mercosul com Cingapura, além de com outros países do continente".

A reunião, que se estenderá até quinta-feira, tratará também do registro de indicações geográficas (em relação ao procedimento disposto aos produtos segundo sua origem) e pontos relacionados com o Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul.

Se forem aprovados esses pontos, estes chegarão ao Conselho do Mercado Comum, segundo diz um comunicado da Chancelaria do Paraguai, país que ostenta a presidência semestral do Mercosul.

O Conselho do Mercado Comum reúne os ministros das Relações Exteriores e da Economia dos países-membros do Mercosul (Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil) e é o principal órgão de decisão do bloco depois da cúpula de chefes de Estado.