Bolsas

Câmbio

Banco Central argentino eleva juros para enfrentar disparada do dólar

Buenos Aires, 27 abr (EFE).- O Banco Central da Argentina decidiu nesta sexta-feira aumentar a taxa básica de juros no país de 27,25% para 30,25%, para enfrentar a forte escalada do dólar.

"Diante da dinâmica adquirida pelo mercado cambial, o Conselho de Política Monetária do Banco Central da República Argentina se reuniu fora de seu cronograma preestabelecido e resolveu aumentar a sua taxa de política monetária", disse a instituição em comunicado.

O Banco Central tomou a decisão "com o objetivo de garantir o processo de desinflação e está pronto para atuar novamente se for necessário".

Por fim, o texto ressalta que o órgão continuará utilizando "todas as ferramentas à disposição" e conduzirá a política monetária para alcançar a meta de inflação de 2018, que é de 15%.

Embora na última quarta-feira o Banco Central tenha interferido no mercado de divisas para ter a cotação sob controle, ontem o peso argentino se desvalorizou 1,46%, para US$ 20,80, distante dos US$ 18,65 do início do ano.

No dia 16 deste mês, o presidente do Banco Central, Federico Sturzenegger, afirmou que os juros poderiam subir se a inflação não começasse a ceder a partir de maio. No primeiro trimestre, a taxa foi de 6,7%, reforçando as dúvidas sobre se o governo conseguirá fechar o ano dentro da meta de 15%.

"Sabemos que, para cumprir a meta, a inflação tem que cair muito, e se esse cenário não se concretizar, teremos que fazer o que for preciso, que neste caso é aumentar a taxa de juros", afirmou Sturzenegger na ocasião.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos