PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Turismo do Uruguai quer usar Griezmann como "grande promotor" do país

17/07/2018 21h39

Montevidéu, 17 jul (EFE).- A ministra de Turismo do Uruguai, Liliam Kechichian, afirmou nesta terça-feira que o jogador francês Antoine Griezmann, atual campeão do mundo com sua seleção, é "um grande promotor" do país sul-americano e expressou sua intenção de "conversar" com o jogador sobre a possibilidade de usar sua imagem oficialmente.

Kechichian também explicou à imprensa que em 2016, quando a França disputou a final da Eurocopa contra Portugal, sua pasta promoveu uma campanha na Europa que ressaltava o mate como uma bebida "muito querida" pelo ídolo francês.

"Fizemos uma campanha digital que teve mais de 40 milhões de visitas. Obviamente Griezmann é um grande promotor do Uruguai. Teremos que conversar com ele porque os jogadores têm direitos de imagem, mas seria muito interessante", declarou Kechichian durante um evento realizado em Montevidéu em comemoração dos 208 anos da independência da Colômbia.

Em relação a uma possível visita do atacante ao Uruguai, a prefeitura de Montevidéu já iniciou seus trâmites para declará-lo visitante ilustre.

Além disso, em carta dedicada a Griezmann, o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, expressou que seria uma honra recebê-lo na sede da presidência da República.

Também aproveitou para agradecer-lhe por ter usado uma bandeira uruguaia durante a entrevista coletiva que deu em Moscou, depois de ser premiado como o melhor jogador da partida em que a França venceu a Croácia por 4 a 2 e conquistou seu segundo título mundial.

O camisa 7 da seleção campeã é amigo do uruguaio Diego Godín e também companheiro de equipe de José María Giménez. No entanto, a conexão de Griezmann com o Uruguai começou quando jogava na Real Sociedad, onde estreou sob o comando do treinador uruguaio Martín Lasarte.

Ali também conviveu com Carlos Bueno, que tinha 30 anos quando o gaulês, de 17, começava a se destacar. Graças a ele se interessou pelo mate e se tornou torcedor do Peñarol, clube que tinha sido defendido pelo amigo uruguaio.