PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Cuba e Comissão Econômica Eurasiática inauguram primeira reunião bilateral

06/02/2019 17h52

Havana, 6 fev (EFE).- Cuba e a Comissão Econômica Eurasiática (CEE) inauguraram nesta quarta-feira em Havana sua primeira reunião bilateral com o objetivo de estabelecer "bases sólidas" de colaboração entre a organização internacional e a ilha, que procura atrair capital estrangeiro para alavancar sua economia.

A abertura do encontro foi presidida pelo ministro de Comércio Exterior de Cuba, Rodrigo Malmierca, e Tatiana Valovaya, titular de Integração e Macroeconomia da CEE, o órgão governante supranacional da União Econômica Eurasiática, integrada por Rússia, Cazaquistão, Bielorrússia, Armênia e Quirguistão.

"Cuba se encontra em um processo de atualização de seu modelo econômico que demanda maior diversificação de seus parceiros comerciais, por isso esta Comissão Conjunta para a Colaboração é uma grande oportunidade", disse Malmierca, citado pela estatal "Agencia Cubana de Noticias".

O ministro cubano esclareceu que o país caribenho procura "manter intercâmbios constantes e diversificados a fim de reduzir as importações", e portanto precisa modernizar sua indústria e aumentar a oferta exportável, sobretudo nos serviços sanitários e nos produtos biotecnológicos.

Malmierca destacou que as relações econômicas entre Cuba e Rússia servem como "referência positiva" nas trocas comerciais com os demais membros da União Econômica Eurasiática.

Por sua vez, Tatiana reconheceu as "potencialidades ainda não exploradas" entre Cuba e a organização internacional, com sede permanente em Moscou.

Entre os setores de interesse para a colaboração, a titular de Integração e Macroeconomia da CEE mencionou a biotecnologia, a indústria farmacêutica, a indústria química, o petróleo e a mineração.

A troca bilateral entre Cuba e as nações da CEE cresceu em 2017 em 15%, enquanto no fechamento do ano passado esta relação cresceu em 7%, um resultado que "ainda não satisfaz", indicou Tatiana.

Amanhã, as partes devem assinar o plano de ação da Comissão Conjunta para a Colaboração entre a CEE e Cuba para 2019. EFE