PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Dow Jones fecha em baixa de 1,41%

31/05/2019 17h59

Nova York, 31 mai (EFE).- O índice Dow Jones Industrial fechou nesta sexta-feira em baixa de 1,41%, influenciado pela ameaça dos Estados Unidos de impor tarifas sobre produtos do México enquanto persiste o conflito comercial com a China.

O principal indicador da Bolsa de Nova York perdeu 354,84 pontos e chegou a 24.815,04. Já o seletivo S&P 500 caiu 1,32%, até 2.752,06, enquanto o índice composto da Nasdaq recuou 1,51%, para 7.453,15.

O pregão nova-iorquino se despediu do mês de maio com os três indicadores com saldo negativo em seu conjunto pela primeira vez neste ano, naquele que, segundo os analistas, é o pior maio desde 2010: o Dow Jones perdeu 6,38% de seu valor de mercado; enquanto o S&P 500 caiu 6,57% e o Nasdaq recuou 8,71%.

Esta última jornada esteve marcada pelo pessimismo desde a abertura, em reação às tarifas de 5% sobre os produtos do México que os EUA pretendem impor a partir de 10 de junho, sob o pretexto do crescente fluxo de imigrantes ilegais na fronteira entre ambos os países, e que podem ser elevadas paulatinamente até 25% em outubro.

Entre as empresas impactadas na Bolsa de Nova York que têm interesses no país vizinho, se destacaram as quedas das montadoras General Motors (-4,25%), Ford (-2,26%) e Fiat Chrysler (-5,82%), assim como dos bancos espanhóis Santander (-3,56%) e BBVA (-4,23%).

O mercado está preocupado porque, em paralelo, persiste o conflito comercial com a China, país sobre o qual os EUA impuseram mais tarifas este mês no valor de milhões de dólares, e que em represália cogita vetar a empresas americanas o acesso às chamadas "terras raras", ricas em metais utilizados para fabricar dispositivos eletrônicos.

Devido à incerteza na frente comercial, os investidores recorreram a valores seguros, fazendo cair a rentabilidade do bônus do Tesouro a 10 anos até níveis não vistos desde 2017, abaixo dos papéis a 3 meses, em uma inversão da curva de juros que faz os analistas temerem uma recessão.

Os setores corporativos mais prejudicados hoje foram o de comunicações (-2,04%), o energético (-1,62%), o tecnológico (-1,60%), o financeiro (-1,48%) e o industrial (-1,46%).

Com exceção do McDonald's (0,10%), o grupo do Dow Jones terminou o pregão tingido de vermelho, com as maiores perdas para Verizon (-4,36%), Dow (-3,53%), Cisco (-2,87%), Goldman Sachs (-2,60%), Nike (-2,40%), Walgreens (-2,39%), Boeing (-2,36%) e Procter & Gamble (-2,30%).

Em outros mercados, a onça do ouro subia para US$ 1.310,40, enquanto a rentabilidade do bônus do Tesouro a 10 anos recuava até 2,131%. EFE