Topo

Huawei diz que, apesar do levantamento do veto, ainda não sente mudanças

12/07/2019 04h57

Xangai (China), 12 jul (EFE).- O presidente interino da empresa chinesa de tecnológica Huawei, Liang Hua, afirmou nesta sexta-feira que, apesar do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter entrado em acordo com o mandatário da China, Xi Jinping, com o levantamento do veto à companhia durante a cúpula do G20, em Osaka (Japão), "ainda não vimos nenhuma mudança tangível".

Em entrevista coletiva realizada na cidade de Shenzhen, onde está localizada a sede da companhia, Liang reconheceu que "sabemos que a Huawei ainda está na lista negra dos EUA" e exigiu que Washington levante completamente o veto.

Este suposto fim ao veto à Huawei foi um dos resultados da reunião entre os líderes das duas potências econômicas, após selarem uma trégua e retomaram as conversas para encerrar a guerra comercial entre EUA e China.

O presidente interino da empresa assegurou que, apesar do veto sofrido pelos EUA nos últimos meses, as receitas da companhia aumentaram no primeiro semestre do ano.

"A Huawei está avançando como de costume e, falando em números, divulgaremos nossos resultados financeiros no final deste mês e ainda não posso dar detalhes específicos, mas o que posso dizer é que no primeiro semestre deste ano teremos um aumento em nossas receitas", apontou Liang.

O diretor respondeu aos rumores publicados recentemente sobre a possível apresentação em agosto do sistema operacional Hong Meng que a empresa projetou e que poderia substituir o Android, caso os EUA voltem atrás e o Google não possa fornecer as atualizações do seu sistema.

"O Hong Meng foi construído para a Internet", explicou Liang, "mas para telefones celulares, nossa primeira opção ainda é continuar usando o sistema operacional Android".

No entanto, ele não descartou que a empresa também irá usá-lo em seus telefones. "Ainda não decidimos se vamos usá-lo em nossos próprios smartphones, mas como ele foi desenvolvido para a internet, gostaríamos que fosse usado para isso, para aplicá-lo no ecossistema do 5G", acrescentou.

Liang se recusou, no entanto, a confirmar ou negar que o sistema operacional será apresentado durante a Huawei Developer Conference, que será realizada de 9 a 11 de agosto, como várias fontes do setor apontaram nos últimos dias.

Se a empresa, uma das que mais vende telefones no mundo, finalmente decidir colocar o Hong Meng em uso em seus smartphones, isso seria um marco para o setor, já que poderia pôr fim ao duopólio exercido pelo Google (Android) e Apple (IOS). EFE

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia