Bolsas

Câmbio

Joesley pede e Justiça adia seu depoimento no inquérito da Operação Bullish

Fábio Serapião, Julia Affonso e Luiz Vassallo

Brasília

A Justiça adiou o depoimento do executivo Joesley Batista, da JBS, marcado inicialmente para esta segunda-feira, 22, no inquérito da Operação Bullish - investigação sobre financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao grupo.

O adiamento foi autorizado pelo juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10.ª Vara Federal na sexta-feira, 19, a pedido do próprio Joesley e de outros três delatores do Grupo, Wesley Mendonça Batista, Francisco de Assis e Silva e Ricardo Saud, que também seriam ouvidos pela PF.

Joesley está residindo em Nova York, para onde se mudou depois que fechou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República. O executivo é o pivô da maior crise do governo Temer. Ele gravou conversa com o presidente na noite de 7 de março no Palácio do Jaburu.

Temer alega que o áudio foi manipulado e adulterado. Sua defesa pediu uma perícia na gravação, que será realizada pelo Instituto Nacional de Criminalística - órgão central de perícias da Polícia Federal.

O juiz Ricardo Leite entendeu "necessária a manifestação do Ministério Público Federal do Distrito Federal sobre o pedido" e determinou o adiamento do depoimento de Joesley e dos outros três executivos da JBS.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos