Bolsas

Câmbio

Reforma trabalhista

Líderes preveem votação da reforma trabalhista para segunda semana de julho

Isabela Bonfim

Brasília

Líderes do Senado já assumem que votação da reforma trabalhista deve ficar para a segunda semana de julho. Para evitar confrontos com a oposição e buscar apoio mais consistente na base, a votação, que poderia acontecer na próxima quarta-feira, deve ser adiada.

"Estamos trabalhando com a data de 12 de julho, não deve ser votado antes disso", afirmou o presidente do Democratas, José Agripino (RN). Outros líderes da base confirmaram a informação.

Oposição

O líder do PT, Lindbergh Farias (RJ), também afirmou que a oposição tem buscado entendimentos com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Para os oposicionistas, o ideal é adiar a votação na esperança de que fatos novos contra o governo apareçam em investigações e enfraqueçam a base.

"Temos bom diálogo com o presidente Eunício e estamos construindo um entendimento para que a oposição não seja atropelada. Não acredito que essa votação aconteça na próxima semana", disse Lindbergh.

Na sessão de quinta-feira, Eunício adiou a votação do requerimento de urgência para o projeto da reforma trabalhista para a próxima terça-feira, 4. Se todos os prazos forem cumpridos, o projeto poderia ser votado já no dia seguinte. O presidente do Senado afirmou ao jornal "O Estado de S. Paulo" que ainda não definiu a data da votação.

Folha Explica as principais mudanças propostas na reforma trabalhista

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos