Topo

Reforma da Previdência


Guedes vê potência fiscal na reforma para tentar capitalização lá na frente

Paulo Guedes participa de audiência na Comissão Mista do Orçamento - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Paulo Guedes participa de audiência na Comissão Mista do Orçamento Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

André Ítalo Rocha e Bárbara Nascimento

São Paulo

04/07/2019 15h34

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira (4) que há potência fiscal suficiente na reforma da Previdência para tentar "lá na frente" criar o regime de capitalização no Brasil. A declaração foi dada em apresentação na edição deste ano da Expert, evento da XP Investimentos, em São Paulo.

"O primeiro movimento foi conseguir potência fiscal na reforma, e há potência fiscal suficiente para tentarmos lá na frente de novo migrar para o regime de capitalização", disse.

O ministro foi aplaudido de pé pela plateia do evento quando subiu ao palco. Ele acenou com as duas mãos para o público antes de começar a falar. Os participantes foram além e houve quem gritasse "meu presidente!".

Guedes também afirmou que o governo pretende "reanimar a economia sem truques, só com fundamentos".

Guedes afirmou que acredita que a reforma da Previdência será aprovada no plenário da Câmara antes do recesso parlamentar. "Eu confio no Congresso brasileiro", disse o ministro, sendo aplaudido pela plateia logo após essa declaração.

O ministro fez questão de afirmar que tem o apoio de lideranças do Congresso, citando os nomes do presidente da comissão especial, Marcelo Ramos (PL-AM), do relator da reforma na comissão, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). "Ao contrário do que se diz por aí, nós temos o apoio [deles]", disse.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Reforma da Previdência