PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Risco de recessão global está aumentando acentuadamente, avalia IIF

O IIF diz que já vinha advertindo "há algum tempo" para o risco de recessão global - Getty Images
O IIF diz que já vinha advertindo "há algum tempo" para o risco de recessão global Imagem: Getty Images

Gabriel Bueno da Costa

São Paulo

30/06/2022 17h12Atualizada em 30/06/2022 17h57

O Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês) afirma que há vários choques diferentes ao mesmo tempo, no quadro atual, e com isso o risco de uma recessão global "está aumentando acentuadamente". Em relatório, a entidade sediada em Washington formada por centenas de bancos internacionais diz que "sempre se preocupa" quando há vários choques diferentes agindo em simultâneo, como agora.

O IIF diz que já vinha advertindo "há algum tempo" para o risco de recessão global.

O foco do instituto era a zona do euro, devido à invasão da Rússia na Ucrânia, e a China, com as políticas contra a covid-19 agindo como um freio "substancial" para o Produto Interno Bruto (PIB), aponta.

Agora, porém, o IIF afirma que a maior surpresa de baixa em seu monitoramento dos dados globais vem dos Estados Unidos, "onde uma forte alta nos juros hipotecários está levando o setor imobiliário a uma recessão profunda".

O instituto vê muitas incertezas no quadro atual. Parece "improvável" que a pandemia da covid-19 vá perder fôlego, em meio a mutações e a novas ondas de casos, o que exige restrições adicionais à circulação.

O IIF vê ainda a China como "o principal ponto de interrogação" em sua projeção para o crescimento global, já que muito depende da disseminação da variante Ômicron da covid-19 e dos lockdowns. "Seja o que ocorrer, a China não deve ser uma fonte de estímulo, conforme crescem os riscos de recessão global", afirma.