Indicador Antecedente de Emprego sobe 1,2 ponto em julho ante junho, a 78,0 pontos, diz FGV

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) subiu 1,2 ponto em julho contra junho, para 78,0 pontos - o maior nível desde outubro de 2022, quando registrou 79,8 pontos -, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o IAEmp avançou 1,0 ponto, para 76,5 pontos.

"Depois de passar a primeira metade do ano oscilando próximo dos 75 pontos, o IAEmp parece dar sinais mais favoráveis com a segunda alta consecutiva em julho. Ainda é um movimento tímido perto da desaceleração observada no final de 2022, mas parece que a melhora no ambiente macroeconômico tem sido favorável para as perspectivas de contratação nos próximos meses", disse em nota o economista do FGV IBRE, Rodolpho Tobler. "A continuidade desse processo é um fator chave, dado que o crescimento econômico é o grande motor para retomada do mercado de trabalho", acrescentou.

A FGV informou que o resultado positivo em julho foi influenciado por três dos sete componentes do IAEmp, com destaques para os indicadores de Situação Atual dos Negócios e Tendência dos Negócios da Indústria, que contribuíram com 0,8 e 0,3 ponto, respectivamente, e o indicador de Situação Atual dos Negócios de Serviços, que subiu 0,5 ponto.

Entre os componentes que contribuíram negativamente estão o indicador Emprego Previsto de Serviços, com queda de 0,3 ponto, e o indicador Emprego Local Futuro do Consumidor, com menos 0,1 ponto.