Desaceleração do crédito está em linha com política monetária, diz BC na ata

A ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada nesta terça-feira, 7, avalia que a desaceleração da concessão de crédito está em linha com a política monetária, ainda contracionista.

O documento destaca uma desaceleração maior no crédito bancário às empresas, aliada a uma recomposição desse financiamento via mercado de capitais. Ainda no crédito para pessoas jurídicas, a ata considera que continua havendo uma "heterogeneidade marcada" entre os setores produtivos tanto nas taxas de juros de concessão quanto nos próprios volumes concedidos.

"Por sua vez, a concessão à pessoa física exibe menor desaceleração e uma recomposição favorecendo as modalidades de baixo custo. Em que pesem as condições monetárias restritivas, enfatizou-se que já se observa a transmissão do ciclo de política monetária esperada pelo mercado para as taxas correntes de novas concessões", completou o Copom.

As concessões dos bancos no crédito livre subiram 2,1% em setembro ante agosto, para R$ 474,6 bilhões, informou há pouco o Banco Central. No acumulado dos últimos 12 meses até setembro, o aumento foi de 5,0%. Estes dados não levam em conta ajustes sazonais.

No crédito para pessoas físicas, as concessões caíram 5,00% em setembro, para R$ 249,4 bilhões. Em 12 meses, há alta de 10,7%. Já no caso de pessoas jurídicas, as concessões subiram 11,2% em setembro ante agosto, para R$ 225,2 bilhões. Em 12 meses, há um recuo de 1,0%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes