É preciso entender melhor atividades de fundos de hedge nos Treasuries, diz dirigente do Fed

O vice-presidente de Supervisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Michael Barr, alertou nesta quinta-feira, 16, para a necessidade de reguladores de buscar maneiras para entender melhor o impacto das atividades de fundos de hedge no mercado de Treasuries. O dirigente discursou em conferência organizada pelo Fed de Nova York.

Barr explicou que esses fundos investem pesadamente em títulos públicos, derivativos e nos negócios de recompra (repo).

"Além disso, a liquidação de posições alavancadas em títulos do Tesouro por fundos de hedge parece ter contribuído para a tensão no mercado de Treasuries em março de 2020", lembrou ele, que garantiu que o Fed e pares trabalham pela resiliência do setor.

O alerta inclui Barr no crescente coro de agentes do setor financeiro que tem chamado atenção para os riscos referentes a essas instituições.

Em setembro, o Banco de Compensações Internacionais (BIS) estimou que fundos de hedge dispõem de US$ 600 bilhões em posições vendidas no mercado de Treasuries, ou seja, o volume de apostas contra o ativo.

A liquidação desses contratos pode gerar turbulências nos negócios da renda fixa, segundo o BIS.

No discurso, Barr também comentou que as tensões bancárias verificadas em março mostraram a importância de bancos em administrarem riscos relativos a juros. "Eu diria que anos de taxas de juro muito baixas levaram à complacência em algumas instituições financeiras quanto ao grau em que os bancos precisavam gerir o risco de taxa de juro", avaliou

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes