Ibovespa sobe 0,17%, aos 125,7 mil, na contramão do Nova York

O Ibovespa conseguiu deslizar para o positivo ao longo da tarde e fechar esta primeira sessão da semana em leva alta, apesar do sinal moderadamente negativo em Nova York em boa parte da etapa vespertina, e também no fechamento. Aqui, ao fim, o índice da B3 mostrava ganho de 0,17%, aos 125.731,45 pontos, com giro a R$ 20,5 bilhões. Hoje, oscilou dos 124.839,65 aos 125.826,08 pontos, saindo de abertura aos 125.517,27 pontos. No mês, o Ibovespa sobe 11,13% e, no ano, avança 14,58%.

Em dia negativo para o petróleo, Petrobras ON e PN fecharam, respectivamente, em baixa de 0,66% e 0,57%, assim como Vale (ON -0,60%) e os grandes bancos (Bradesco ON -0,91%, Itaú PN -0,26%, Santander Unit -0,33%), à exceção de BB (ON +1,84%). O comportamento desfavorável das ações de maior peso no índice, contudo, não impediu que o Ibovespa encontrasse fôlego no fechamento para retomar trajetória positiva, vindo de perda de 0,84% na sessão anterior. Assim, reaproxima-se um pouco da linha dos 126 mil, vista nos fechamentos da quarta e quinta-feira passadas.

Na ponta ganhadora nesta segunda-feira, Yduqs (+10,73%), Cogna (+7,19%) e CSN Mineração (+6,28%), com Raízen (-5,08%), 3R Petroleum (-4,27%) e Pão de Açúcar (-3,37%) no canto oposto. O avanço de Yduqs decorreu de mudança na recomendação do JPMorgan, para compra da ação, enquanto Goldman Sachs rebaixou a de 3R Petroleum, de compra para venda, colocando o papel da empresa na fila contrária nesta segunda-feira, observa Gabriela Sporch, analista da Toro Investimentos.

"A abertura em Nova York veio fraca hoje e os índices de lá passaram a operar majoritariamente no campo negativo à tarde. Ainda assim, o Ibovespa conseguiu segurar os 125 mil pontos, oscilando bem próximo à estabilidade, em dia negativo para as exportadoras de commodities, como Vale e Petro, que têm grande peso no índice", diz Bruna Centeno, sócia e especialista da Blue3 Investimentos. Ela destaca que o ajuste negativo em Vale, na sessão, decorreu da preocupação mostrada pela China com relação ao patamar de preços do minério de ferro, em função da possibilidade de "trade especulativo."

De acordo com relato da Reuters, o órgão planejador estatal da China informou ter realizado pesquisa sobre os índices de preços de diversas commodities, entre as quais o aço e o minério de ferro. A decisão do centro de monitoramento de preços da Comissão de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) visa aprofundar a compreensão de como os preços são compilados e os dados são recolhidos. A medida ocorreu após a NDRC emitir dois alertas sobre o reforço da supervisão do mercado de minério de ferro, na semana passada, para conter a alta dos preços.

"O pregão foi um pouco volátil à tarde para o Ibovespa, que chegou a cair em torno de meio por cento à tarde, mas acabou fechando em leve alta, enquanto o dólar também ficou bem perto do zero a zero no fechamento da sessão. Esta semana guarda uma agenda de indicadores mais pesada, com destaque para o PCE nos Estados Unidos, na quinta-feira", diz Gabriela, da Toro, referindo-se à métrica de inflação ao consumidor preferida do Federal Reserve.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes