Bolsas da Ásia fecham em baixa com temor sobre deflação na China, mas Tóquio estende rali

Por Sergio Caldas*

São Paulo, 12/01/2024 - As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta sexta-feira, em meio a preocupações renovadas sobre a tendência deflacionária na China. A exceção foi o mercado japonês, que driblou o mau humor da região e deu continuidade a um recente rali.

Principal índice acionário chinês, o Xangai Composto caiu 0,16% hoje, a 2.881,98 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto teve perda de 0,64%, a 1.749,42 pontos.

Dados oficiais mostraram que o índice de preços ao consumidor (CPI) da China recuou 0,3% na comparação anual de dezembro, em sua terceira queda consecutiva, enquanto o índice de preços ao produtor (PPI) registrou baixa de 2,7% no mesmo período, estendendo o declínio para o 15º mês seguido. Os números fracos de inflação ofuscaram o desempenho melhor do que o esperado das exportações chinesas no mês passado.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng cedeu 0,35% em Hong Kong, a 16.244,58 pontos, o sul-coreano Kospi caiu 0,60% em Seul, a 2.525,05 pontos, no oitavo pregão negativo seguido, e o Taiex apresentou modesta baixa de 0,19% em Taiwan, a 17.512,83 pontos.

Em Tóquio, por outro lado, o Nikkei estendeu o rali dos últimos dias, fechando no maior nível em quase 34 anos pelo quarto pregão consecutivo. O índice japonês avançou 1,50%, a 35.577,11 pontos, impulsionado por ações de conglomerados como Marubeni (+1,4%), Mitsui (+2,2%) e Mitsubishi (+1,8%). Na semana, o Nikkei acumulou robusto ganho de 6,6%.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou levemente no vermelho, acompanhando o tom predominante da Ásia. O S&P/ASX 200 recuou 0,10% em Sydney, a 7.498,30 pontos.

Contato: sergio.caldas@estadao.com

*Com informações da Dow Jones Newswires

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes