Petróleo fecha em leve queda, sob fardo da debilidade da economia, mesmo com tensão geopolítica

Embora tenha reduzida perdas ao longo da sessão, o petróleo fechou em leve queda nesta segunda-feira, 15, em pregão marcado pela volatilidade, à medida que os investidores ponderam sobre eventuais riscos para a oferta da commodity dos conflitos no Oriente Médio e o cenário possível crescimento global fraco, o que poderia pesar sobre a demanda.

No pregão eletrônico da Nymex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para fevereiro caiu 0,25%, a US$ 72,50. Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para março fechou em baixa de 0,18% (-US$ 0,14), a US$ 78,15 por barril.

Nesta segunda-feira, foi feriado nos Estados Unidos, o que enxugou a liquidez nos mercados internacionais.

Mais cedo, os preços do Brent chegaram a subir cerca de 1,3%, ante notícias de que forças militares dos EUA abateram no domingo um míssil disparado por militantes houthis do Iêmen que tinha como alvo um navio militar norte-americano que navegava no Mar Vermelho

O BBVA projeta um valor médio de US$ 86 por barril do Brent em 2024, ainda que o ano comece com o vento contrário vindo da debilidade da atividade econômica, escreveu o principal economista do banco, Alejandro González. No entanto, os analistas consideram que, ao longo do ano, as restrições de oferta da Organização dos Países Produtores de Petróleo e aliados (Opep+) e a redução dos incentivos econômicos para o xisto americano podem levar o preço a níveis mais altos. "De qualquer maneira, seguimos considerando que a volatilidade não terminará este ano e é muito provável que siga gerando surpresas", completou.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes