Não há pressa em começar a cortar os juros, diz Christopher Waller, do Fed

O diretor do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) Christopher Waller afirmou na quinta-feira, 22, que indicadores recentes da economia dos Estados Unidos reforçam a visão de que "não há pressa em começar a cortar os juros".

Durante um evento na Universidade de Saint Thomas, em St. Paul, Minnesota, Waller disse que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no último trimestre do ano passado - de 3,3% -, a força demonstrada pelo mercado de trabalho no início do ano e a inflação ao consumidor (CPI) em aceleração em janeiro "reforçaram minha visão de que precisamos verificar se o progresso que vimos na inflação no segundo semestre de 2023 vai continuar".

O diretor do Fed também afirmou que indicadores recentes sugerem um abrandamento do crescimento da economia dos Estados Unidos, como os dados de vendas no varejo - que caíram 0,8% em janeiro na comparação mensal. Waller ressaltou, entretanto, que o Fed considera flexibilizar a política monetária apenas quando há sinais claros de que a economia poderá estar em recessão ou perto dela. "Mas, com base no quadro da economia que pintei hoje, deveria ficar tão claro para vocês quanto para mim que não há indicações de uma recessão iminente."