Caixa/Habitação: vice-presidente destaca valores concedidos, mesmo com encolhimento da poupança

A vice-presidente de Habitação da Caixa Econômica Federal, Inês Magalhães, afirmou nesta quarta-feira, 28, que mesmo com o contínuo encolhimento dos depósitos da poupança, o banco manteve um forte ritmo de concessão de crédito nas linhas de financiamento habitacional destinadas a clientes de classe média. Este é o segmento atendido pelo chamado Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

"Temos uma questão ainda importante de redução dos recursos da poupança", afirmou ela em coletiva de imprensa para detalhar os resultados do banco em 2023, divulgados na terça-feira, 27. "Mesmo assim, nós mantivemos um investimento de R$ 75 bilhões através do SBPE no ano passado."

O banco teve uma forte concessão de crédito imobiliário no ano passado, sustentada em especial pelos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que financia unidades para famílias de menor renda e também de algumas faixas do Minha Casa Minha Vida, programa habitacional do governo federal que banco opera praticamente sozinho.

"O FGTS cumpriu papel importantíssimo no financiamento da habitação", disse Magalhães. No ano passado, o Fundo destinou R$ 100 bilhões para a habitação, o que ajudou a manter as concessões em alta mesmo com o encolhimento da poupança.

Inês Magalhães afirmou ainda que neste ano, a Caixa espera contratar o financiamento de 160 mil unidades do MCMV nas faixas com maior subsídio, cujo recurso vem do Orçamento Geral da União.

Benefícios

Na mesma coletiva, o presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Vieira, afirmou que o crescimento da distribuição de benefícios sociais pagos pelo governo federal no ano passado reforçou o papel público da instituição. "O resultado está aí: crescemos 20%. Isso é a Caixa", afirmou ele.

No ano passado, a Caixa pagou 19,5% mais benefícios que em 2022, chegando a R$ 369,2 bilhões. Estes benefícios são pagos com recursos do governo federal. A Caixa faz a distribuição aos beneficiários finais, e recebe um pagamento do governo para prestar este serviço. O mais conhecido programa distribuído pelo banco é o Bolsa Família.