Petróleo fecha em queda, após dados de inflação em linha nos EUA -

Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda, acelerando a baixa no fim do dia após oscilarem dentro de uma faixa estreita durante boa parte da sessão. Sem assumirem novas posições relevantes neste último pregão do mês, os operadores monitoravam o comportamento do dólar, que subia, após dados de inflação em linha com as expectativas em janeiro nos Estados Unidos. O indicador, contudo, manteve a aposta de que o Fed seguirá cauteloso e só deve iniciar qualquer alívio monetário em junho. As negociações entre Israel e o Hamas seguiam no radar, mas o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse ser pouco provável que um acordo de cessar-fogo fosse alinhavado até segunda-feira.

Na Internacional Commodity Exchange (ICE), o Brent para maio fechou em baixa de 0,29% (US$ 0,24), aos US$ 81,91 por barril. Enquanto isso, na New York Mercantile Exchange, o WTI para abril fechou em queda de 0,36% (US$ 0,28), a US$ 78,26 o barril. No mês, o Brent acumulou alta de cerca de 1,70% e o WTI avançou 3,18%.

Em relação ao conflito em Gaza, Biden acrescentou que Washington está verificando "versões contraditórias" de disparos em um local da Faixa de Gaza, onde estava sendo distribuída ajuda humanitária.

Já a Rússia aprovou a suspensão das exportações de gasolina por seis meses, de 1º de março a 31 de agosto deste ano, de acordo com a agência de notícias Tass. A decisão tem o intuito de apoiar a situação estável do mercado de combustíveis durante a alta temporada relacionada às operações dos campos da primavera, às férias e à paragem programada nas refinarias. A informação já circulava nos mercados na véspera.

O petróleo Brent deverá subir pouco no segundo semestre do ano, antes de atingir cerca de US$ 88 o barril no início de 2025, de acordo com uma pesquisa com analistas compilada pelo The Wall Street Journal. A sondagem apontou que o valor de referência internacional do petróleo deve ser, em média, de US$ 84,37 e US$ 84,40 no terceiro e quarto trimestres, respectivamente. A média do prognóstico para o WTI é de US$ 80,32 por barril no terceiro trimestre e US$ 80,12 por barril no quarto, mostrou a pesquisa. No primeiro trimestre do próximo ano, o Brent deverá atingir uma média de US$ 88,33 o barril e o WTI, de US$ 84,67 o barril.

* Com informações da Dow Jones Newswires