Grãos: IGC reduz estimativa para safra global 2023/24, para 2,301 bilhões de toneladas

O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) reduziu sua previsão para a produção global de grãos em 2023/24, de 2,304 bilhões de toneladas no mês passado para 2,301 bilhões de toneladas, com pressão da oferta de milho, que enfrenta aumento de doenças e estresse hídrico em partes do Hemisfério Sul. Contudo, segundo levantamento do IGC publicado nesta quinta-feira, 18, o volume projetado é maior que o estimado para 2022/23, de 2,266 bilhões de toneladas. Além disso, se confirmado, o volume seria recorde. Para 2024/25, a projeção foi reduzida em 10 milhões de t, para 2,322 bilhões de toneladas.

O IGC elevou ligeiramente a estimativa de consumo mundial de grãos, para 2,310 bilhões de t em 2023/24, e reduziu de estoques, para 591 milhões de t. Enquanto isso, as projeções de 2022/23 para consumo ficaram em 2,274 bilhões de t e de estoque em 600 milhões de t. Em 2024/25, a expectativa para o consumo foi reduzida para 2,321 bilhões de t, com estoques menores, a 592 milhões de t.

A projeção de produção da soja em 2023/24 se manteve estável em 390 milhões de toneladas, enquanto a estimativa de consumo global foi levemente reduzida para 382 milhões de t. Já os estoques subiram 1 milhão, para 67 milhões de toneladas. Para o ciclo 2022/23, a produção foi estimada em 375 milhões de toneladas, com consumo e estoques estimados em 369 milhões de t e 58 milhões de t, respectivamente. Para 2024/25, a projeção indica produção mundial de 413 milhões de toneladas, com consumo de 404 milhões de t e estoques de 75 milhões de t. Segundo IGC, a produção da oleaginosa deve ser recorde em 2023/24, com uma forte colheita na Argentina compensando colheitas menores nos EUA e no Brasil.

Quanto ao milho, o Conselho reduziu a estimativa de produção em 2023/24 de 1,227 bilhão de t, em março, para 1,223 bilhão de toneladas neste mês. O volume é maior que o projetado para 2022/23, de 1,163 bilhão de toneladas, mas abaixo das 1,226 bilhão de t esperadas para 2024/25. A previsão para consumo ficou em 1,212 bilhão de t para a temporada atual, enquanto para 2022/23 ficou em 1,181 bilhão de t e 1,223 bilhão de t para 2024/25. Os estoques foram estimados em 289 milhões de t, contra 278 milhões de t em 2022/23 e 291 milhões de t em 2024/25.

Em relação ao trigo da temporada 2023/24, o IGC manteve a projeção de produção em 789 milhões de t. O volume é menor do que os 803 milhões de toneladas previstos para 2022/23, e abaixo dos 798 milhões de toneladas estimados para 2024/25. A nova estimativa de consumo do cereal em 2023/24 foi elevada para 806 milhões de t. Para 2022/23, a projeção de consumo foi reduzida para 794 milhões de t, enquanto a estimativa para 2024/25 teve leve baixa, para 803 milhões de t. Já a perspectiva para os estoques do cereal em 2023/24 foi diminuída de 267 milhões de t para 264 milhões de t, enquanto para 2022/23 ficou em 281 milhões de toneladas. Em 2024/25, os estoques devem ser de 259 milhões de t.

*com informações de Dow Jones Newswires