Ibovespa cai para nível de 124 mil pontos, à espera do balanço da Vale na quarta-feira

O Ibovespa opera perto da mínima nesta segunda-feira, 22, na faixa dos 124 mil pontos, após subir 0,27%, na máxima aos 125.464,58 pontos. O principal indicador da B3 só não cai mais por conta da valorização da Petrobras, diante da confirmação de pagamento de parte dos dividendos extraordinários, e devido à recuperação das bolsas americanas.

O recuo do Índice Bovespa é puxado principalmente pelas ações ligados ao minério de ferro, que caiu 0,06% em Dalian, na China, onde o BC local decidiu por manter suas principais taxas de juros inalteradas, apesar de dúvidas com o crescimento chinês. Além disso, há expectativas pela divulgação do balanço da Vale do primeiro trimestre, na quarta-feira.

"Há uma série de incertezas em torno da Vale, como a sucessão no comando da empresa, aos impactos do rompimento da barragem em Brumadinho MG e das questões macroeconômicas, como o cenário da China", diz Raony Rossetti, CEO e fundador da Melver.

Outro ponto de atenção nos mercados é a incerteza fiscal local. "O Ibovespa segue colhendo efeitos negativos das questões fiscais, do anúncio das metas fiscais. Temos uma pauta-bomba no radar que pode gerar aumento de despesa no Congresso (de cerca de R$ 70 bilhões em 2024 e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, tentando fazer articulações para evitar um estrago maior", diz Raony Rossetti, CEO e fundador da Melver.

Na sexta, o Índice Bovespa fechou com valorização de 0,75%, aos 125.124,30 pontos, mas acumulou a terceira queda semanal seguida, de 0,65%.

"Depois de uma semana bastante instável nos mercados, a semana começa mais favorável em função de uma agenda leve e menores tensões geopolíticas", descreve em comentário o economista-chefe do BV, Roberto Padovani. Em Nova York e na Europa, as bolsas avançam.

Nesta segunda-feira, as ações da Petrobras seguem no foco, após a confirmação de que o Conselho de Administração da estatal decidiu pagar 50% dos dividendos extraordinários na assembleia de acionistas, na sexta. A despeito da alta dos papéis da petrolífera naquele dia e do recuo perto de 1,00% do petróleo, os papéis da estatal avançavam entre 0,74% (PN) e 1,10% (ON), às 11h06.

Para Alvaro Bandeira, coordenador de Economia da Apimec Brasil, ainda há espaço para alta do Ibovespa, mas isso depende, segundo ele, do comportamento das ações da Petrobras e da safra de balanços já começando com Vale.

Hoje, a participação do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, em eventos, será acompanhada pelos investidores. Amanhã, começa a safra de balanços no Brasil com Usiminas, seguida de Vale e Assai, na quarta. Na sexta, tem a divulgação do IPCA-15 de abril, mesmo dia que será informado o índice predileto de inflação do Fed, o PCE. Aliás, os dirigentes da autoridade monetária dos EUA está em período de silêncio, dada a proximidade da reunião do Fomc, nos dias 30 de abril e 1º de maio.

Às 11h08, o Ibovespa caía 0,22%, aos 124.873,79 pontos, ante mínima aos 124.633,03 pontos (-0,39%), após subir 0,27%, na máxima aos 125.124,30 pontos. Vale caía 0,95%, puxando o setor metálico para baixo.