Bolsas da Europa fecham em alta, com foco nas decisões de BCs no continente

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta quinta-feira, 20, em uma sessão atenta às decisões de bancos centrais na região. O destaque foi o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), que manteve juros, assim como era esperado, mas que sinalizou um possível corte nas taxas em uma de suas próximas reuniões.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,88%, a 518,66 pontos.

O BoE decidiu manter sua taxa básica de juros pela sétima vez consecutiva, em 5,25%, após concluir reunião de política monetária nesta quinta-feira. Segundo comunicado da reunião, sete dos nove dirigentes de política monetária do BC inglês votaram pela manutenção do juro básico.

Os dissidentes foram Swati Dhingra e Dave Ramsden, que defenderam corte do juro básico em 25 pontos-base, para 5%.

O ING avalia que o BoE sinalizou nesta quinta que seu primeiro corte de juros se aproxima, "apesar de alguns números recentes não bem-vindos da inflação de serviços". Na opinião do banco holandês, essa primeira redução deve ocorrer em agosto.

O banco avaliou que o comunicado desta quinta foi mais dovish do que muitos investidores esperariam. Para o ING, o progresso na inflação de serviços deve ser retomado nos próximos meses, como sinaliza o próprio BOE. Em Londres, o FTSE 100 fechou em alta de 0,82%, a 8.272,46 pontos, na máxima do dia.

O índice se recuperou após a decisão, já que uma "libra mais fraca foi boa para o grande número de pessoas que ganham no exterior", aponta Dan Coatsworth, analista de investimentos da AJ Bell. "Está aumentando a confiança de que o BoE poderá reduzir as taxas em agosto ou setembro, o que representaria um importante ponto de virada na política monetária e traçaria efetivamente um limite para uma era ditada pelo aumento da inflação e por rápidos aumentos das taxas", conclui.

Mais cedo, o BC suíço cortou seu juro básico em 25 pontos-base pela segunda vez consecutiva, a 1,25%, ao avaliar que a pressão inflacionária segue diminuindo. O BC norueguês, por sua vez, manteve seu juro principal em 4,5% e sinalizou que a taxa permanecerá no nível atual até o fim do ano, "antes de ser reduzida gradualmente".

No noticiário macroeconômico, os preços ao produtor (PPI) da Alemanha tiveram queda anual de 2,2% em maio, um pouco maior do que se previa.

Em Frankfurt, o DAX fechou em alta de 0,95%, a 18.239,09 pontos. Em Paris, o CAC 40 avançou 1,34%, a 7.671,34 pontos. Em Milão, o FTSE MIB subiu 1,37%, a 33.675,15 pontos. Em Madri, o Ibex35 subiu 0,94%, a 11.160,50 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 ganhou 1,67%, a 6.650,92 pontos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes