PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta terça-feira

23/07/2019 07h32

Confira as cinco principais notícias desta terça-feira, 23 de julho, sobre os mercados financeiros internacionais:

1. Trump assina acordo com líderes do Congresso sobre o teto da dívida

O presidente Donald Trump chegou a um acordo sobre o teto da dívida com líderes do Congresso durante a noite, o que abre o caminho para mais gastos do governo até pelo menos 2021.

O acordo, que ainda precisa ser ratificado por ambas as Casas do Congresso, abrirá caminho para centenas de bilhões em novos gastos e evitará a ameaça de uma nova paralisação do governo.

O aumento do teto da dívida incluído no orçamento dos próximos dois anos neutraliza o assunto como uma questão para a campanha presidencial de 2020. A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, admitiu que evitar uma quebra no mercado de ações foi um elemento importante levado em consideração por trás do acordo.

2. Enxurrada de resultados da economia real

Com aproximadamente 25% das empresas do S&P 500 divulgando seus lucros nesta semana, os relatórios serão acelerados na terça-feira com uma grande quantidade de nomes importantes.

A Coca-Cola (NYSE:KO), Travelers (NYSE:TRV) e United Technologies (NYSE:UTX) serão os componentes do Dow antes da abertura, juntamente com outras ações notáveis, como Lockheed Martin (NYSE:LMT), Biogen (NASDAQ:BIIB), Harley-Davidson (NYSE:HOG), Kimberly-Clark (NYSE:KMB) e Fifth Third Bancorp(NASDAQ:FITB) (NASDAQ:FITB).

Após o fechamento do mercado, a Visa (NYSE:V) receberá bastão do Dow, enquanto o termômetro, a Texas Instruments (NASDAQ:TXN), Chipotle Mexican Grill (NYSE:CMG) e Snap (NYSE:SNAP) também divulgarão ganhos.

Das 85 empresas constituintes do S&P 500 que divulgaram relatórios na segunda-feira, 76% haviam superado as previsões de lucro, enquanto 65% superaram o consenso sobre vendas, de acordo com The Earnings Scout.

3. Mercado de futuros dos EUA aponta para abertura em alta.

Os futuros dos EUA apontaram para uma abertura ligeiramente maior nesta terça-feira, com o acordo do teto da dívida sustentando o apetite ao risco, evitando um possível aperto de liquidez no final do ano que poderia atingir os mercados indevidamente.

As ações globais em geral permaneceram de bom humor, impulsionadas pelos relatórios de lucros e pelas expectativas de que o Federal Reserve e o Banco Central Europeu começarão a afrouxar a política monetária.

O Federal Reserve deverá reduzir as taxas no final do mês, enquanto alguns esperam que o Banco Central Europeu reduza sua taxa de depósito em 10 pontos-base nesta quinta-feira. O Banco da Inglaterra também parece ter recuado em suas advertências anteriores sobre uma possível necessidade de taxas mais altas. Michael Saunders, considerado um dos formuladores de política mais agressivos do BoE, disse à Bloomberg que estava preocupado com o fato de o Reino Unido não conseguir uma saída suave da União Europeia, sugerindo que ele pode ter mudado de ideia sobre taxas mais altas.

Nos EUA, o foco do mercado na agenda econômica será no mercado imobiliário, com a publicação das vendas de imóveis usados em junho e os dados dos preços dos imovéis em maio.

4. Acordo Apple-Intel e nova aquisição pela Starbucks (NASDAQ: SBUX) movimentam noticiário econômico

Negociações corporativas fizeram as manchetes matinais, já que o The Wall Street Journal informou que a Apple (NASDAQ: AAPL) estava perto de comprar unidade de chips de modem 5G para smartphone da Intel (NASDAQ: INTC) .

A reportagem, publicada após o fechamento do mercado na segunda-feira, sugeriu que o acordo pode ser finalizado na próxima semana e está avaliado em US$ 1 bilhão ou mais.

Separadamente, a Starbucks (NASDAQ: SBUX) anunciou que licenciará os aspectos do software que alimenta seu sistema de pedidos móveis para a empresa de tecnologia de restaurante Brightloom, a antiga eatsa, em troca de uma participação acionária e um assento no conselho de diretores.

5. FMI deve atualizar suas previsões em meio a notícias positivas entre EUA e China

O Fundo Monetário Internacional também atualizará suas perspectivas econômicas globais às 10h00.

O relatório deve fornecer uma previsão de como o FMI vê questões como a disputa comercial EUA-China e a perspectiva pós-Brexit para o Reino Unido, onde Boris Johnson deve ser confirmado como o novo líder do Partido Conservador hoje.

O relatório vem quando o South China Morning Post informou que o secretário de comércio Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, se encontrarão com o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, para conversações comerciais de alto nível em Pequim, na semana que vem, apoiando as esperanças de progresso em um eventual acordo.