PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Copel sobe mais de 4% após acordo para retomar produção da UTE Araucária

30/08/2019 15h39

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) (SA:CPLE6)) informou na tarde de ontem que celebrou contrato para suprimento de combustível entre a Petrobras (SA:PETR4) e a UEG Araucária (UEGA), para a Usina Termelétrica de Araucária. O contrato vigorará até 31 de dezembro de 2019 e prevê o fornecimento de 2,15 milhões metros cúbicos de gás natural por dia, sem obrigatoriedade de retirada.

Diante disso, as ações da companhia eram negociadas com ganhos de 4,45% a R$ 52,54, por volta das 14h25.

Com isso, a UTE Araucária voltará a ficar disponível ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e poderá ser despachada a critério do Operador Nacional do Sistema (ONS), assim que o contrato for homologado pela Aneel.

Com capacidade instalada de 484 MW, a usina, que apontada como umas das mais eficientes do país, operando com a utilização de ciclo combinado, na modalidade Merchant (sem contrato de disponibilidade).

O CEO da estatal paranaense de energia, Daniel Slaviero, durante teleconferência realizada com analistas de mercado para apresentar os resultados, no último dia 16, informou que a companhia tem interesse em assumir a participação de 20% detida pela Petrobras (SA:PETR4) na usina termelétrica Araucária.

A termelétrica Araucária é controlada diretamente por uma Sociedade de Propósito Específico chamada Usina Elétrica a Gás de Araucária (UEGA), cuja acionista principal, com 60%, é a Copel (SA:CPLE6) GeT – braço de geração e transmissão da estatal. A holding Copel e a Petrobras (SA:PETR4) possuem 20% de participação cada. Desde 1º de fevereiro de 2014 a operação da usina é de responsabilidade da UEGA.