Topo

Prazo do Fies termina amanhã; veja opções se não conseguir crédito

Michel Martore/Photopress/Estadão Conteúdo
Imagem: Michel Martore/Photopress/Estadão Conteúdo

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

2019-02-13T04:00:00

2019-02-14T13:12:53

13/02/2019 04h00Atualizada em 14/02/2019 13h12

Passou no vestibular de uma faculdade privada e não tem dinheiro para pagar? A alternativa mais procurada é o Fies, o financiamento estudantil do governo federal, cujo prazo de inscrição termina amanhã. O resultado da pré-seleção será conhecido no dia 25.

No entanto, as regras de subsídio e o número limitado de contratos dificultam o acesso. Se não conseguir, há opções privadas. Algumas universidades oferecem financiamento próprio, com taxa de juros zero. Também é possível recorrer aos bancos, mas pode sair caro. Veja alternativas mais abaixo.

Universidades têm juros menores que bancos

Algumas universidades oferecem parcerias e linhas de crédito próprio, com juro zero ou com taxas menores do que em bancos. Veja as principais opções abaixo:

  • Estácio:  Aluno paga metade do valor do curso enquanto estiver estudando e a outra metade após a formatura. O programa de parcelamento (PAR) possui juro zero.
  • Kroton: Tem parceria com a BV Financeira, com juro zero. As mensalidades são corrigidas apenas pela inflação. Faculdades do grupo: Anhanguera, Pitágoras, Fama, entre outras.
  • Ser Educacional: Financia até 70% da mensalidade sem juros, com pagamento do empréstimo após a formatura. Faculdades do grupo: UNG, Uninassau, Unama, Univeritas e Faculdade Joaquim Nabuco.

Bancos têm opções mais caras

No Santander, a linha é específica para medicina. Os juros chegam a 31% ao ano (2,29% ao mês)

O Bradesco possui parceria com diversas faculdades e oferece taxa zero em alguns casos.

O Itaú possui parceria com a Pravaler, empresa especializada em crédito estudantil que mantém convênio com diversas faculdades, com juros subsidiados, chegando a zero em alguns casos. Também financia cursos a distância, o que não é possível no FIES. Não é preciso ter feito o Enem e não há limite de renda.

Há ainda a Fundacred, fundação que oferece o CredIES e que mantém convênio com 190 instituições de ensino superior. O aluno financia parte do curso e começa a pagar após sua conclusão. A entidade cobra uma taxa de 0,35% ao mês (4,2% ao ano).

    O que mudou no Fies?

    O Fies sofreu diversas mudanças nos últimos anos. O financiamento do governo foi dividido em três categorias em 2018, privilegiando os estudantes com renda familiar per capita de até três salários mínimos (categoria 1).

    Estudantes com renda até cinco salários que residam no Norte, Nordeste e Centro Oeste entraram na categoria 2. Os demais estudantes com renda até cinco salários mínimos foram alocados categoria 3.

    No Fies 2019, as categorias 2 e 3 foram unificadas no Fies Privado, ou P-Fies, que será administrado pelos grandes bancos. Já a categoria 1 passou a se chamar apenas Fies e será administrado pela Caixa Econômica Federal.

    O pagamento do empréstimo tem início logo após a conclusão do curso. No antigo Fies, os estudantes tinham carência de até 18 meses após a formatura para pagar as mensalidades.

    Quais os critérios do Fies e P-Fies?

    A categoria Fies terá 100 mil vagas, com financiamento a juro zero. No P-Fies, não há limite de vagas, mas as taxas de juros serão definidas pelos bancos, podendo chegar a zero. Nos dois casos é necessário passar por um processo de seleção do MEC (Ministério da Educação). 

    Veja os principais critérios:

    • Ter realizado a prova do Enem a partir de 2010 e obtido nota superior a 450 pontos, sem zerar a redação
    • Renda familiar per capita de até três salários mínimos para concorrer ao Fies
    • Renda familiar per capita de até cinco salários mínimos para concorrer ao P-Fies
    • Para calcular a renda, some os salários da família e divida pelo número de pessoas que moram juntas
    • A nota do Enem não será mais critério de classificação para o P-Fies
    • Indicar um fiador aumenta as chances de aprovação do crédito no P-Fies
    • Não é necessário ter conta em banco para se inscrever no Fies ou P-Fies
    • Nome sujo pode dificultar a aprovação do P-Fies
    • Limite para financiamento de mensalidade é de R$ 7.000
    • Não pode ser usado para financiar cursos EAD (ensino a distância)

    Que Geração Z é essa?

    UOL Entretenimento

    Mais Economia