Topo

Gol está entre 37 aéreas do mundo que usam mesmo modelo que caiu na Etiópia

Divulgação
Avião modelo Boeing 737 MAX 8 da Gol Imagem: Divulgação

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

2019-03-10T18:07:42

2019-03-11T13:36:12

10/03/2019 18h07Atualizada em 11/03/2019 13h36

A Gol é a única companhia aérea brasileira que opera jatos Boeing 737 Max 8, mesmo modelo do avião que caiu neste domingo na Etiópia poucos minutos após a decolagem. A empresa possui sete aeronaves desse modelo, com capacidade para 186 lugares cada uma, que são usadas tanto em voos nacionais como em rotas internacionais. A aérea informou que mantém os aviões em operação enquanto acompanha as investigações. 

Este é o segundo acidente fatal em menos de seis meses envolvendo o novo jato da Boeing, que foi lançado em 2017. Em outubro do ano passado, um avião da companhia Lion Air caiu pouco depois de decolar de Jacarta, na Indonésia.

No mundo, 37 companhias aéreas já receberam pelo menos um exemplar da nova família de jatos da Boeing, entre elas a Aerolíneas Argentinas, a Aeromexico, a Copa e a American Airlines.

Mais de 100 empresas encomendaram cerca 4.700 aviões da família 737 Max, segundo a Boeing. Esse é o modelo que registrou vendas mais rápidas na história da fabricante norte-americana.

Gol terá 130 Boeing 737 Max até 2027

As novas aeronaves da Gol fazem parte do seu plano de renovação de frota, que prevê um total 130 encomendas de jatos da família Boeing 737 Max até 2027, sendo 100 do modelo Max 8 e 30 do Max 10, o maior avião da família, com capacidade para até 230 passageiros.

A Gol possui atualmente 121 aviões, sendo sete Boeing 737 Max 8, 91 Boeing 737-800 NG e 24 Boeing 737-700 NG. A idade média da frota é de 9,5 anos.

No fim do ano passado, a companhia anunciou que vai acelerar a modernização de sua frota com a realização de contratos "sale and leaseback" para substituição de 13 aeronaves da família 737 NG pelo novo modelo 737 MAX 8 entre 2019 e 2021.

Segurança em primeiro lugar

A Gol informou ao UOL por meio de sua assessoria que está acompanhando as investigações sobre o acidente ocorrido na Etiópia.

Segundo a companhia, embora ambas as empresas aéreas tenham o mesmo modelo de aeronave, sua operação é distinta da Ethiopian Airlines, o que não permite comparações.

"A segurança está em primeiro lugar para a Gol", declarou a empresa. 

"Novo em folha"

Assim como os aviões da Gol, o jato que caiu neste domingo na Etiópia era muito novo.

"Avião novo em folha, que recebemos no final do ano passado, em novembro", disse o presidente da Ethiopian Airlines, Tewolde Gebremariam, em entrevista a jornalistas.

Segundo ele, as manutenções de rotina nunca revelaram qualquer problema na aeronave que caiu.

Piloto avisou que estava com problemas

Pouco tempo depois da decolagem, o piloto do avião da Ethiopian relatou à torre de controle do aeroporto de Adis Abeba, capital da Etiópia, que estava com problemas técnicos. As condições do acidente são semelhantes à do caso envolvendo o jato da Lion Air, que também caiu minutos após decolar do aeroporto de Jacarta, em outubro do ano passado.

Mais Economia