PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Sócio do Giraffas é afastado pelo pai após polêmica sobre covid-19

Patrick Mesquita

Do UOL, em São Paulo

25/03/2020 17h28

Alexandre Guerra, acionista e membro do conselho de administração do Giraffas, foi afastado hoje da rede de restaurantes após dizer que quem está com medo da covid-19 deveria temer perder o emprego. O anúncio foi feito pelo pai do empresário e fundador da empresa, Carlos Guerra.

Em contato com a reportagem do UOL, a assessoria de imprensa do restaurante disse que Alexandre não tinha cargo executivo e não era porta-voz da empresa.

"Alexandre Guerra é meu filho e fez gravações que não concordamos e pedimos que não fossem conectadas ou vinculadas ao Giraffas. Infelizmente, isso aconteceu. Ele estava tentando falar para um grupo de empresários que assessora. Concordamos que ele deixe de ser acionista da empresa e deixe o cargo de membro do conselho de administração. Ele não trabalha na empresa há mais de quatro anos. A relação entre pai e filho continuará próxima e amigável porque em casa sabemos conviver com o contraditório", disse Carlos Guerra.

O fundador do Giraffas ressaltou que a empresa não apoia nenhum governo e que nenhum porta-voz da empresa está autorizado a dar declarações neste momento.

"Estou aqui para reestabelecer a verdade. Muito foi dito ultimamente e a maioria não corresponde a o que a gente faz e acredita. Primeiro, não apoiamos esse governo. Na verdade, não apoiamos nenhum governo. Somos uma empresa pluralista. Preciso dizer que não autorizamos nenhum porta-voz da empresa a dar declaração em nosso nome", afirmou.

O empresário ainda disse que o posicionamento da empresa é o de cuidado com os trabalhadores.

"Pedimos para eles ficarem em casa, tomarem o máximo de cuidado, colocamos de férias remuneradas e dizendo que fiquem despreocupados que terão seus empregos na hora do retorno ao trabalho. Em relação à crise, estamos obedecendo autoridades médicas responsáveis: de ficarmos em casa e obedecermos esse isolamento até que nosso sistema de saúde seja capaz de determinar uma política diferente", disse.

Pedido de boicote nas redes

Em rede social, Alexandre fez coro a Junior Durski, da rede Madero, e afirmou que quem está com medo da covid-19 deveria ter medo de perder o emprego.

"Você que é funcionário, que talvez esteja em casa numa boa, numa tranquilidade, curtindo um pouco esse home office, esse descanso forçado, você já se deu conta de que, ao invés de estar com medo de pegar esse vírus, você deveria também estar com medo de perder o emprego? Será que sua empresa tem condições de segurar o seu salário por 60, 90 dias? Você já pensou nisso?", disse ele em sua conta do Instagram.

A declaração foi vista de forma negativa nas redes sociais. No Twitter, usuários pediram boicote ao Giraffas.

Afastamento repercute na web

Pouco tempo após a decisão de Carlos Guerra, usuários das redes sociais repercutiram o caso. Veja as reações:

Economia