PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Novos golpes via SMS usam supostos descontos para roubar usuários via Pix

Pix, novo meio de pagamento do Banco Central - TIAGO CALDAS/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Pix, novo meio de pagamento do Banco Central Imagem: TIAGO CALDAS/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL

19/08/2021 21h28

Um novo golpe usando o Pix está sendo praticado por criminosos. Eles mandam mensagens de texto nas quais oferecem supostos descontos nas faturas de celular e do cartão de crédito, para que a vítima faça a transferência instantânea.

Segundo especialistas, nesse esquema eles se aproveitam da rapidez e facilidade das tecnologias, amplamente usadas pela população. Os textos enviados via SMS prometem redução no valor das contas caso o pagamento seja feito pelo Pix.

De acordo com a empresa de cibersegurança Kaspersky, o primeiro golpe identificado por eles oferece R$ 35,90 de abatimento na fatura e informa a chave para realizar a transferência.

Em outro mais recente, a mensagem informa sobre uma união entre as bandeiras de cartões para descontos de até 40%. Nesse caso, a vítima é direcionada a um site falso "soumaispix.com" para gerar a conta com o valor reduzido. Para isso, ela deve informar o CPF, valor da fatura, bandeira e os quatro últimos números do cartão. É após essa etapa que são informados o novo valor e a chave Pix para o pagamento.

O analista sênior da Kaspersky no Brasil, Fabio Assolini, explica que nos dois casos os criminosos usam números curtos, os chamados "short-codes" para o envio das mensagens falsas. Isso confunde o usuário porque esse tipo de número normalmente é usado por operadoras e grandes empresas para realizar a comunicação com clientes e o envio de códigos de confirmação.

Segundo a empresa, desde a estreia do Pix, em novembro de 2020, a plataforma de segurança cibernética já bloqueou mais de 22 milhões de tentativas de ataques no Brasil. Entre elas, 81% usam nomes de instituições financeiras, como bancos, empresas de cartão de crédito e corretoras.

Somente em 2021 foram 18 milhões. Considerando o período entre maio e agosto deste anos, foram identificados e bloqueados mais de 2.400 endereços de sites com o termo Pix no nome.

Saiba como se proteger:

  • Sempre acesse os canais oficiais das empresas para confirmar se a promoção ou oferta existe. Na dúvida, entre em contato com o atendimento ao cliente;
  • Antes de clicar em um link, verifique o endereço para onde será redirecionado e o remetente para garantir que são genuínos;
  • Tenha atenção ao remetente. Como neste caso os cibercriminosos usam o short-code legítimo, é necessário conhecer o golpe para desconfiar;
  • Se não tiver certeza de que a página é real e segura, não coloque informações pessoais ou realize pagamentos.
PUBLICIDADE