PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Agronegócio

Em 4 meses, agricultores tomam R$ 124,5 bi em empréstimos do Plano Safra

Mark Stebnicki
Imagem: Mark Stebnicki

Viviane Taguchi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

05/11/2021 07h53

Em quatro meses, de julho a outubro deste ano, agricultores brasileiros tomaram R$ 124,5 bilhões em empréstimos do Plano Safra 2021. O montante é 39% maior, em comparação com o mesmo período da safra anterior, afirmou em nota à imprensa Wilson Vaz de Araújo, diretor do Departamento de Crédito e Informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Neste ano, o governo disponibilizou, no total, R$ 251,2 bilhões para os produtores rurais, 6,3% acima do ofertado na safra anterior. Por outro lado, houve redução em outro programa de crédito para o agronegócio, o Moderfrota, que oferece dinheiro para compra de tratores e colheitadeiras. A diminuição foi de 14% em relação a 2020.

Os investimentos, segundo Araújo, estão avançando em ritmo forte, com contratações superiores a 55% do volume em relação à safra passada, e, no balanço, o saldo para novas contratações de investimento é de 47% da programação inicial, ou seja, ainda restam R$ 34,3 bilhões distribuídos nos diferentes programas.

Até o final de outubro, informou o Mapa, os programas com maior comprometimento de recursos foram o Moderfrota (75%), o Procap-Agro (61%), Proirriga (55%) e Inovagro (54%).

Quando foi lançado, em junho, especialistas apontaram que o crédito disponibilizado pelo Moderfrota, de R$ 8,7 bilhões, terminaria em três meses, o que não aconteceu.

De acordo com Araújo, o destaque dos quatro primeiros meses do Plano Safra foi para o Inovagro, que conseguiu reagir em suas contratações, e até agora, apresentou variação positiva de 12% em relação à safra passada. Os ajustes realizados nas normas do programa, e também do Moderagro, segundo ele, devem ter contribuído para esse aumento.

Agronegócio