PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Prefeitura do Rio lança app de delivery para competir com iFood e Rappi

Logo do aplicativo de delivery Valeu, lançado pela prefeitura do Rio - Divulgação
Logo do aplicativo de delivery Valeu, lançado pela prefeitura do Rio Imagem: Divulgação

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

28/03/2022 12h45

A Prefeitura do Rio de Janeiro lança nesta segunda-feira (28) um aplicativo de delivery para competir com empresas que dominam o setor, como Ifood e Rappi.

Batizado de Valeu, o app deve gerar uma economia de até 20,5% para os restaurantes cadastrados na plataforma, em relação aos outros apps, segundo a prefeitura. Durante a fase de testes, que deve durar dois meses, não serão cobradas dos estabelecimentos taxas e mensalidades para usar o aplicativo, e os entregadores serão dos próprios restaurantes.

O aplicativo está disponível, em fase de testes, para Android e iOS. Restaurantes podem se cadastrar neste link.

A plataforma foi idealizada pela Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento, por meio da Iplanrio (Empresa Municipal de Informática do Rio). O objetivo é aumentar os ganhos de bares, restaurantes e entregadores.

De acordo com a prefeitura, as taxas cobradas e os repasses serão assim:

  • Em pedidos de até R$ 100: taxa zerada para restaurantes e repasse de R$ 7 para o entregador;
  • Em pedidos de R$ 100 a R$ 200: taxa de 2% para restaurantes e repasse de R$ 7 + 2% do valor do pedido para entregadores;
  • Em pedidos acima de R$ 200: taxa de 5% para os restaurantes e repasse de R$ 7 + 2% do valor do pedido para entregadores.

'Vamos calibrando'

Na tarde desta segunda, o secretário de Fazenda e Planejamento do Rio, Pedro Paulo Carvalho, afirmou que, "se o modelo não tiver aderência, vamos calibrando para que ele fique cada vez melhor, de acordo com a necessidade de cada uma das partes".

Ele disse acreditar que a maioria das entregas estará no modelo taxa zero, para vendas de até R$ 100.

O aplicativo não exige que os estabelecimentos ofereçam descontos para os clientes.

Ao acessar a plataforma, serão apresentados aos usuários os estabelecimentos credenciados mais próximos e, posteriormente, os mais bem avaliados com base nas notas dos consumidores.

Estão previstos também 30 pontos de apoio pela cidade para os entregadores. Quarenta restaurantes estão cadastrados no app até o momento.

'Driblaremos os iFoods da vida'

A novidade foi anunciada na semana passada em uma entrevista de Carvalho à revista alemã "Der Spiegel". No Twitter, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), falou sobre o projeto.

"Em breve, driblaremos os iFoods da vida. Dinheiro tem que estar na mão dos restaurantes e entregadores de comida. Não dá para continuar com as taxas absurdas dos intermediários", escreveu.

No conteúdo divulgado, Carvalho explica como a prefeitura lançou o Taxi Rio, para competir com o Uber.

A prefeitura estima que 100 mil pessoas, a maioria homens moradores de comunidades, trabalhem com delivery entre 12 e 14 horas por dia —"um trabalho exaustivo e mal pago", disse Carvalho à publicação.

Taxi Rio e Bibi Mob

Em 2017, já de olho na disputa pelo mercado entre Uber e taxistas, a prefeitura do Rio lançou o Táxi Rio, um app nos moldes do Uber e 99.

No aplicativo, passageiros podem solicitar corridas com até 40% de desconto. A única diferença em relação aos concorrentes é a forma de pagamento. No Táxi Rio, o pagamento ocorre em dinheiro, maquininha de débito e crédito do motorista ou via Pix. Não é possível pagar por meio do próprio aplicativo.

Alternativa semelhante foi adotada recentemente pela prefeitura de Araraquara, no interior de São Paulo. Lançado no início do ano, o Bibi Mob já tem mais de 200 motoristas e 7.000 usuários cadastrados.

Os motoristas recebem 95% do valor das corridas. Uber e demais aplicativos costumam repassar cerca de 60%.

O projeto começou a ser desenvolvido em novembro de 2020 e entrou em operação no começo deste ano.