IPCA
0,26 Set.2023
Topo

Ministério pede para manter sondas na Amazônia após negativa do Ibama

Confirmação da Petrobras mostra divisão do governo sobre perfuração na foz do rio Amazonas - Aleksandr_Vorobev/Getty Images
Confirmação da Petrobras mostra divisão do governo sobre perfuração na foz do rio Amazonas Imagem: Aleksandr_Vorobev/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

19/05/2023 10h42Atualizada em 19/05/2023 10h55

A Petrobras confirmou hoje ter recebido um ofício do Ministério de Minas e Energia pedindo para refazer o pedido de licenciamento ambiental e manter os equipamentos para perfurar um poço na foz do rio Amazonas. Na quarta (17), o Ibama rejeitou o pedido da estatal para explorar petróleo na área, considerada de "alta vulnerabilidade socioambiental".

O que aconteceu?

Ministério enviou pedidos à Petrobras, dizendo que perfuração é importante para "segurança energética" e para "alavancar o desenvolvimento de alguns dos estados com os menores IDHs do país".

Petrobras diz que vai avaliar as demandas da pasta. Segundo comunicado enviado a investidores, a petrolífera afirmou que os departamentos da empresa vão verificar se há riscos jurídicos e econômicos nas solicitações.

Confirmação mostra divisão dentro do governo sobre o assunto, já que o Ibama é subordinado ao Ministério do Meio Ambiente. O líder do governo no Congresso, Randolfe Rodrigues (AP), chegou a sair do partido Rede, fundado pela ministra Marina Silva, por discordar da negativa.

Ibama rejeitou pedido da Petrobras

Empresa quer perfurar poço na Bacia da Foz do Rio Amazonas, no litoral do Amapá. Em despacho, o órgão disse que o projeto da petrolífera tem "inconsistências preocupantes para a operação segura em nova fronteira exploratória de alta vulnerabilidade socioambiental".

Região é apontada como o novo pré-sal. A estatal afirma todas as suas operações seguem "rigorosamente" as normas ambientais e de segurança.

Governo Lula tem prometido combate à crise climática e compromisso com a transição energética para bases sustentáveis. Em entrevista nesta semana, a ministra Marina Silva afirmou que o Ministério iria acatar a recomendação dos técnicos do Ibama, seja qual fosse. "O Ministério não dificulta nem facilita, cumpre o que está na legislação", disse.