Desenrola renegocia R$ 29 bi em dívidas e deve ser prorrogado até março

O programa Desenrola Brasil, do governo federal, já renegociou R$ 29 bilhões em dívidas desde o seu lançamento. No total, 10,7 milhões de pessoas foram atendidas em cinco meses, divulgou nesta quarta-feira (6) o Ministério da Fazenda.

Mais prazo para renegociação de dívidas

O governo pretende estender o prazo do Desenrola. O secretário de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, Marcos Barbosa Pinto, disse que que o governo deve enviar nos próximos dias para o Congresso Nacional uma MP (Medida Provisória) que prevê a ampliação do programa até março de 2024. Inicialmente, o Desenrola está previsto para terminar em 31 de dezembro.

O certificado de conta prata e ouro da conta gov.br também pode cair. Marcos Pinto afirmou que o selo de confiabilidade, que funciona como um recurso de segurança da identificação do usuário, também deve ser eliminado por meio de MP, com a finalidade de atingir mais pessoas nos próximos meses.

A gente não acha que esse é o ponto de maior empecilho para as renegociações acontecerem em um ritmo ótimo, mas pode causar algum entrave para algumas pessoas. A gente quer abrir mão desse requisito e trabalhar com os bancos uma solução que não exija o certificado prata ou ouro.
Marcos Barbosa Pinto

Segundo o secretário, o governo estuda manter a plataforma no ar após o fim da extensão. A ideia é fazer com que credores e devedores continuem a negociar, mas sem a garantia do FGO (Fundo Garantidor de Operações), fundo do Tesouro Nacional que cobre possíveis calotes de quem aderir à renegociação.

Veja dados do Desenrola até agora

Fase 1 (dívidas de até R$ 100 com bancos)

  • 7 milhões de pessoas atendidas (dívidas de até R$ 100)
  • 2,7 milhões de pessoas atendidas (outras dívidas)

Fase 2 (dívidas bancárias e não bancárias, como conta de luz e água, por exemplo)

Continua após a publicidade
  • 1 milhão de pessoas atendidas
  • R$ 5 bilhões em dívidas renegociadas
  • R$ 4,46 bilhões em descontos
  • 2,2 milhões de contratos renegociados

Percentual de contratações feitas

  • Contratos: à vista (47%) e parcelado (53%)
  • Valores: à vista (21%) e parcelado (79%)

Percentual de negociações por tecnologias

  • Celular (82% e notebook (18%)

Ticket Médio

Continua após a publicidade
  • À vista (R$ 248) e parcelado (R$791)

Média dos descontos

  • À vista (90%) e parcelado (R$ 85%)

Média dos juros

  • Parcelado (1,8%)

Média de quantidade de parcelas

Continua após a publicidade
  • 11 parcelas

Percentual de pagamentos (à vista)

  • 75% Pix e 25% boleto

Percentual de pagamentos (parcelado)

  • 91% boleto e 9% débito automático

Média de tempo para concluir a renegociação

Continua após a publicidade
  • 4 minutos e 8 segundos

Ranking de setores com mais renegociações (em valores)

  1. Serviços financeiros (R$ 3,3 bilhões)
  2. Securitizadoras (R$ 513 milhões)
  3. Comércio (R$213 milhões)
  4. Conta de luz (R$ 143 milhões)
  5. Educação (R$ 53 milhões)
  6. Demais setores: construtoras, locadoras de veículos e cooperativas (R$ 43 milhões)
  7. Conta de telefone (R$ 28 milhões)
  8. Conta de água (R$ 8 milhões)
  9. Empresa de pequeno porte/microempresa (R$ 4 milhões)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes