Bolsas

Câmbio

Petrobras

Investidores dizem à Justiça dos EUA que Petrobras sabia de esquema de corrupção

Mica Rosenberg e Jeb Blount

28 Jun (Reuters) - Investidores que moveram uma ação judicial contra a Petrobras nos Estados Unidos para recuperar bilhões de dólares em prejuízos argumentaram que as prisões e acordos de delação premiada feitos por executivos de grandes companhias no Brasil provam que a empresa sabia sobre o enorme esquema de corrupção e propinas a políticos.

Advogados dos investidores pediram que o juiz distrital Jed Rakoff, em Manhattan, tomasse uma decisão sobre as queixas de que a companhia violou a lei federal de valores mobiliários dos Estados Unidos, antes de um julgamento agendado para 19 de setembro, de acordo com documentos jurídicos.

A Petrobras e os advogados da empresa não responderam imediatamente a pedidos de comentários. Mas a empresa alegou que foi vítima de uma fraude orquestrada por um punhado de executivos, além de prestadores de serviços e políticos.

Promotores no Brasil disseram que foram pagos mais de US$ 2 bilhões em propinas a executivos da Petrobras ao longo de uma década por empresas de engenharia e construção, com o objetivo de assegurar contratos de licitações. O escândalo, que envolveu a classe política brasileira, contribuiu para uma queda acentuada no valor de mercado da empresa.

Enormes descobertas de petróleo em alto-mar ajudaram a elevar o valor da Petrobras a US$ 290 bilhões em 2008. A companhia vendeu cerca de US$ 70 bilhões em novas ações em 2010. Hoje, o valor da companhia é de cerca de US$ 41 bilhões.

Investidores liderados pelo Universities Superannuation Scheme Limited, que gerencia mais de US$ 50 bilhões para professores de universidades britânicas, e codemandantes alegam que a Petrobras não os informou corretamente sobre as perdas relacionadas à corrupção que ajudaram a pressionar os preços de suas ações.

Advogados dos investidores disseram nos documentos apresentados ao tribunal nesta terça-feira que a Petrobras deveria ser responsabilizada pelas ações de seus funcionários.

O advogado dos demandantes, Jeremy Lieberman, do escritório Pomerantz, disse em uma entrevista que sua equipe tomou mais de 70 depoimentos sobre o caso. Informações de depoimentos que ainda não foram divulgadas no Brasil e das próprias investigações internas da Petrobras foram redigidas no documento.

Uma audiência sobre a moção dos demandantes para o julgamento sumário parcial, que eliminaria algumas das reivindicações, está marcada para 5 de agosto. Se o juiz decidir em favor dos investidores, o julgamento continuará para determinar os danos, a menos que haja um acordo, disse Lieberman.

Enquanto a Petrobras estimou as perdas do esquema de preços fixos em cerca de US$ 2,5 bilhões, Lieberman e seus clientes alegam que as responsabilidades para com investidores são muito maiores que isto.

Receba notícias do UOL Economia pelo WhatsApp

Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? Primeiro, adicione este número à agenda do seu telefone: +55 (11) 96492-6379 (não esqueça do "+55"). Depois, envie uma mensagem para este número por WhatsApp, escrevendo só: grana10.

Sucessão de problemas abala desempenho da Petrobras

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos