ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 1.Ago.2018
Topo

Construtora Tarjab espera alta de 30% nas vendas em 2018, mas vê margens estáveis

07/02/2018 19h12

Por Gabriela Mello

SÃO PAULO (Reuters) - A construtora e incorporadora Tarjab espera elevar em mais de 30 por cento as vendas de imóveis em 2018, embora ainda não veja melhora significativa dos preços ou das margens este ano, disse o presidente da companhia, Carlos Alberto Borges, nesta quarta-feira.

"A queda de juros básicos vai favorecer o curto prazo, mas sem as reformas essa recuperação será um voo de galinha", afirmou Borges. Nesta quarta-feira, o Banco Central cortou a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, para nova mínima recorde de 6,57 por cento ao ano.

Apesar do cenário favorável, a expectativa da Tarjab é de estabilização das margens, uma vez que os preços dos imóveis devem acompanhar a inflação e o custo da obra tende a crescer nos próximos meses.

Borges, que também é vice-presidente de tecnologia e qualidade do Secovi-SP, disse que fornecedores de aço e cimento já começam a pressionar por aumentos de preços. "Em cerâmica temos mais opções de fornecedores e conseguimos negociar melhor", contou. No mês passado, as siderúrgicas anunciaram aumentos de dois dígitos nos preço para vários produtos de aço.

Outro fator que pode restringir as margens este ano é a concorrência acirrada na região de São Paulo, foco de atuação da Tarjab, entre as construtoras que ainda contam com elevados estoques e recorrem a descontos para convencer os clientes a fechar o negócio.

Para 2018, a companhia espera lançar o equivalente a 300 milhões de reais em Valor Geral de Vendas (VGV), dos quais considera factível a comercialização de 181 milhões de reais. Em 2017, as vendas da Tarjab cresceram 73 por cento sobre 2016 e somaram 136 milhões de reais.

"Ficamos dois anos (2015 e 2016) no zero-a-zero e voltamos a ter lucro no ano passado", disse o presidente da construtora, citando um resultado líquido positivo de 25 milhões de reais.

Conforme Borges, os planos da Tarjab para 2018 incluem a atuação no Minha Casa Minha Vida (MCMV). Embora o foco sejam projetos para classe média e alta, o grupo ingressou no ano passado no segmento de imóveis econômicos com um empreendimento na cidade de Curitiba enquadrado nas faixas 2 e 3 do programa habitacional.

O executivo explicou que o estoque de terrenos, atualmente de 500 milhões de reais, pode ser adaptado para o MCMV. Segundo ele, a Tarjab já tem outro lançamento dentro das faixas 2 e 3 do programa previsto para este ano, no bairro Vila Carioca, em São Paulo.

Mais Economia