ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Wall Street sobe com alta de serviços de comunicação

27/09/2018 18h43

Por Noel Randewich

(Reuters) - O mercado acionário dos Estados Unidos fechou em alta nesta quinta-feira, ajudado pelas ações da Apple, Alphabet e Facebook, bem como pela confiança do Federal Reserve (Fed) na solidez da economia com o terceiro aumento de taxa de juros neste ano.

O índice Dow Jones subiu 0,21 por cento, a 26.440 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 0,276328 por cento, a 2.914 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 0,65 por cento, a 8.042 pontos.

Oito dos 11 setores subiram, com o índice de serviços de comunicação, cujo nome foi alterado recentemente e passou a incluir o Facebook, a Alphabet, do Google e outras ações de empresas de internet e mídia, saltando 0,80 por cento.

O Fed também não alterou amplamente suas previsões para a política monetária, mas os investidores entraram no modo de vendas generalizadas um pouco antes do fechamento da sessão, na véspera, enquanto digeriam as implicações de um fim de uma era de política monetária "acomodativa".

Aumentando o sentimento de bem estar, dados mostraram que o crescimento econômico acelerou no segundo trimestre no ritmo mais forte em cerca de quatro anos, em linha com as previsões.

"O comunicado do Fed é essencialmente uma luz verde para a economia. É uma confirmação de que a economia dos EUA é a melhor opção para investidores globais", disse Jeffrey Kravetz, diretor de investimento regional no Private Client Reserve of U.S. Bank.

A Alphabet subiu 1,20 por cento e o Facebook avançou 1,13 por cento, ambos ajudando a elevar o S&P 500.

A Apple subiu 2,2 por cento, após a JPMorgan começar a avaliar os papeis com o rating "overweight". Para isso, afirmou que os fabricantes do iPhones moveram-se mais rápido que o previsto para o setor de serviços.

Já a Amazon.com subiu 1,93 por cento depois que a corretora Stifel elogiou os setores de varejo, nuvem e propaganda da empresa. A varejista online deve abrir uma loja física na cidade de Nova York.

Mais Economia