PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Berkshire comprou ações da Activision antes de aquisição pela Microsoft

O bilionário Warren Buffett , CEO da Berkshire Hathaway - Adam Jeffery/CNBC/NBCU Photo Bank/NBCUniversal via Getty Images
O bilionário Warren Buffett , CEO da Berkshire Hathaway Imagem: Adam Jeffery/CNBC/NBCU Photo Bank/NBCUniversal via Getty Images

15/02/2022 11h46

A Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, adquiriu quase US$ 1 bilhão em ações da Activision Blizzard antes de a Microsoft concordar em comprar a fabricante de videogames por US$ 68,7 bilhões, de acordo com um documento regulatório de ontem.

A Berkshire disse que, em 31 de dezembro, possuía 14,7 milhões de ações no valor de cerca de US$ 975 milhões da fabricante de "Call of Duty".

A Microsoft anunciou seu plano de compra da Activision Blizzard em 18 de janeiro, em sua maior aquisição de todos os tempos.

As ações da Activision sobem 22,5% neste ano e fecharam o pregão da véspera a US$ 81,50, embora permaneçam bem abaixo do preço proposto na aquisição, de 95 dólares por ação, refletindo possíveis preocupações antitruste.

Outro investidor proeminente, o Third Point, hedge fund de Daniel Loeb, comprou 2 milhões de ações da Activision no quarto trimestre.

A Berkshire divulgou sua participação na Activision em um documento detalhando seus investimentos em ações listadas nos Estados Unidos em 31 de dezembro. Investidores monitoram de perto os investimentos da Berkshire para ver em que lugar Buffett e seus gerentes de investimentos Todd Combs e Ted Weschler veem valor.

Os registros não dizem quem comprou e vendeu o quê, embora Buffett geralmente lide com investimentos maiores.

No quarto trimestre, a Berkshire também aumentou sua participação na petrolífera Chevron e reduziu suas alocações em empresas de saúde, incluindo Bristol-Myers Squibb e Abbvie. A Apple continua sendo a maior participação em ações ordinárias da Berkshire.

As vendas de ações e a pausa de seis anos de Buffett na compra de grandes empresas inteiras contribuíram para o valor recorde de US$ 149,2 bilhões no caixa da empresa em 30 de setembro de 2021, apesar de pelo menos US$ 21,9 bilhões em recompras de ações naquele ano.