PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Ibovespa recua em dia de vencimento de opção do índice; Ambev dispara

13/07/2022 17h49

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista fechou no vermelho nesta quarta-feira, após um dado de inflação acima do esperado nos Estados Unidos fortalecer a aposta de que o Federal Reserve fará outro aperto monetário mais agressivo no fim do mês.

A pressão negativa sobre o Ibovespa, que teve a maioria dos 92 papéis de sua carteira em baixa, foi atenuada pela alta de 5,7% de Ambev, que responde por mais de 3% no índice.

O Ibovespa, referência da bolsa brasileiro, encerrou em baixa de 0,4%, a 97.881,16 pontos, tendo atingido 97.402,99 pontos na mínima e subido a 98.928,24 pontos na máxima do dia.

O volume financeiro totalizou 35,7 bilhões de reais, em sessão também marcada pelo vencimento dos contratos de opções sobre Ibovespa. Na sexta-feira, ocorre o vencimento dos contratos de opções sobre ações.

Nos EUA, o índice de preços ao consumidor subiu 1,3% no mês passado, após avançar 1% em maio. Economistas consultados pela Reuters projetavam alta de 1,1% do índice. Em 12 meses até junho, os preços ao consumidor saltaram 9,1%, de 8,6% em maio, maior avanço desde novembro de 1981.

Os números referendaram as expectativas no mercado de que o banco central norte-americano aumentará sua taxa de juros em mais 0,75 ponto percentual na reunião de 26 e 27 de julho, com alguns economistas não descartando um aperto mais forte.

Considerando improvável uma elevação de 0,5 ponto, o economista do JPMorgan Daniel Silver afirmou em relatório ver uma chance de um aumento maior do que 0,75 ponto.

"O Fed ainda vai ter que ser bastante agressivo, bastante duro nesse aperto monetário", afirmou o analista da Ouro Preto Investimentos Bruno Komura, citando que já havia especulações de alta de 1 ponto no final do mês.

Ele avaliou que o mercado está reagindo bem, dado o cenário pior, com mercado de trabalho e inflação nos EUA ainda muito fortes, e apenas dados de atividade enfraquecendo.

Investidores da bolsa brasileira também repercutiram números sobre o varejo brasileiro, que perdeu força em maio, embora alguns setores tenham mostrado resiliência; e ao andamento da PEC dos Benefícios na Câmara dos Deputados.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que aumenta benefícios como o Auxílio Emergencial e cria novos, como um voucher para caminhoneiros, com impacto fiscal estimado de 41,25 bilhões de reais, foi aprovada em primeiro turno na Câmara e deve passar sem sobressaltos pelo segundo turno na Casa.

"Os riscos fiscais continuam altíssimos", afirmou Komura, afirmando que uma das preocupações é de que esses benefícios se tornem permanentes, com um novo governo no próximo ano buscando apoio da população, independente de quem sair vitorioso.

DESTAQUES

- AMBEV ON subiu 5,66%, maior alta diária desde outubro de 2021, ajudada por relatório do JPMorgan que elevou a recomendação dos papéis para "overweight", bem como o preço-alvo para 17 reais, citando entre os argumentos o arrefecimento nos preços de commodities, que deve beneficiar margens.

- QUALICORP teve baixa de 4,4%, em dia negativo para o segmento de saúde, com REDE D'OR perdendo 4,31% e HAPVIDA ON encerrando em queda de 1,85%.

- MAGAZINE LUIZA ON perdeu 3,41%, após seis altas seguidas, período em que acumulou uma valorização de 37,56%. No pano de fundo, as vendas do varejo mostraram piora no segmento de móveis e eletrônicos em maio. AMERICANAS ON caiu 1,42% e VIA ON cedeu 1,18%.

- B3 ON recuou 2,47%, mais uma vez entre as maiores pressões negativas do Ibovespa, após dados recentes mostrarem queda no volume médio diário negociado nos segmentos de ações e de derivativos ano a ano. Números preliminares de julho mantêm a tendência no segmento de ações.

- NATURA&CO ON valorizou-se 2,93 %, buscando dar continuidade aos ganhos do último pregão e manter a trajetória de recuperação neste mês, após um três meses seguidos de baixa, acumulando no período uma desvalorização de 48%.

- LOJAS RENNER ON avançou 1,74%, uma vez que dados sobre as vendas no varejo do Brasil mostraram melhora no ritmo de crescimento no segmento de vestuário e calçados, na contramão do índice cheio, que desacelerou. CIELO ON, também sensível aos dados, caiu 2,51%

- ITAÚ UNIBANCO PN recuou 0,4%, enquanto BRADESCO PN caiu 2,28%.

- VALE ON cedeu 0,34%, apesar da recuperação dos preços do minério de ferro na Ásia, depois que dados mostraram que as exportações da China cresceram em um ritmo mais rápido do que o esperado em junho.

- PETROBRAS PN terminou com variação positiva de 0,07%, em sessão de variações modestas do petróleo no exterior, onde o barril de Brent fechou com acréscimo de 0,08%.

- BRF subiu 2,72%. A empresa de alimentos recebeu sua primeira habilitação para embarque de carne suína ao Canadá, a partir da unidade de Campos Novos (SC), em momento de abertura do mercado canadense a proteínas do Brasil.