IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Secretário da Fazenda diz que medidas do governo abrirão caminho para afrouxamento monetário

10/04/2023 08h27

SÃO PAULO (Reuters) -O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Guilherme Mello, afirmou nesta segunda-feira que as medidas recentes do governo no âmbito fiscal abrirão espaço para afrouxamento monetário por parte do Banco Central.

Em entrevista à GloboNews, Mello disse que, a partir do momento em que a autarquia reconhece as qualidades da proposta do governo, que impede que os gastos federais cresçam mais do que a arrecadação, ela também incorpora isso aos seus modelos.

"A partir dessa incorporação aos modelos, abre-se o caminho tanto do ponto de vista das variáveis macroeconômicas reais quanto do ponto de vista da percepção das expectativas dos agentes para um ciclo de afrouxamento monetário o mais breve possível para harmonizar as políticas fiscal e monetária", argumentou o secretário, engrossando o coro de pedidos de membros do governo por cortes de juros.

A taxa Selic está atualmente em 13,75%, e tem sido alvo de críticas recorrentes do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que diz que esse nível mina o crescimento econômico e a oferta de crédito.

Nesse contexto, Mello disse que o governo vai anunciar uma série de medidas para melhorar o mercado de crédito e aumentar a competitividade com "taxas melhores para os clientes".

Na entrevista, o secretário disse ainda que o governo está muito otimista com a recepção do arcabouço fiscal no Congresso, onde o texto deve chegar até terça-feira.

"Quanto ao Congresso Nacional, nós estamos muito otimistas... os presidentes das duas Casas, deram declarações positivas, otimistas, reconhecendo o bom trabalho desenvolvido pela área econômica do governo em construir uma regra que unifica responsabilidade fiscal e responsabilidade social", afirmou Mello.

O secretário acrescentou que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, "também já se manifestou positivamente sobre o novo arcabouço fiscal" e pediu uma compreensão sobre o processo de aprovação no Legislativo.

(Reportagem de Eduardo Simões e Fernando CardosoTexto de Camila Moreira e Luana Maria BeneditoEdição Alberto Alerigi Jr.)