Contratações sazonais no varejo dos EUA vão cair a níveis vistos em 2008

NOVA YORK (Reuters) - O setor varejista dos EUA vai contratar o menor número de trabalhadores sazonais para esta temporada de festas de fim de ano desde 2008, devido ao aumento dos custos trabalhistas e à instabilidade na confiança do consumidor, de acordo com um relatório da Challenger, Gray & Christmas fornecido exclusivamente à Reuters.

Espera-se que as varejistas criem apenas 410.000 empregos sazonais nesta temporada, de acordo com uma análise de dados não ajustados sazonalmente do Escritório de Estatísticas Trabalhistas (BLS, na sigla em inglês) pela empresa global de outplacement e coaching executivo.

O número está pouco acima dos 324.900 trabalhadores contratados durante o último trimestre da recessão financeira de 2008.

Os varejistas dos EUA criaram 519.400 empregos no último trimestre de 2022, um declínio de 26% em relação ao mesmo período de 2021.

Estima-se que as vendas no período de festas cresçam no ritmo mais lento dos últimos cinco anos, à medida em que a diminuição das poupanças das famílias e as preocupações com a economia levam os consumidores a gastar de forma mais criteriosa, de acordo com a Deloitte.

Os empregadores já mostram sinais de hesitação na contratação, à medida que o mercado de trabalho começa a arrefecer, após um período de aperto de três anos.

As empresas sediadas nos EUA anunciaram até agora apenas 8.000 contratações planejadas para a temporada de festas de final de ano, em comparação com as 258.201 contratações planejadas anunciadas pelos empregadores até este ponto em 2022, de acordo com o rastreamento da Challenger, Gray & Christmas.

(Reportagem de Siddharth Cavale em Nova York)

Deixe seu comentário

Só para assinantes