Lula diz que levará a demais membros do Mercosul possibilidade de acordo com Vietnã

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que é do interesse do Brasil realizar uma aproximação entre o Mercosul e a Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), e afirmou que irá levar aos demais membros do bloco sul-americano a possibilidade de um acordo comercial com o Vietnã.

"Discutimos também o interesse do Vietnã de celebrar um acordo comercial com o Mercosul. Vou levar o tema a nossos parceiros do Mercosul, aproveitando a presidência brasileira", disse Lula em declaração à imprensa no âmbito de visita ao Brasil do primeiro-ministro vietnamita, Phạm Minh Chính

"Tenho certeza de que avançaremos nessa discussão. É do nosso interesse aproximar o Mercosul da Asean", acrescentou Lula.

As falas de Lula ocorrem no momento em que o Mercosul tenta finalizar um acordo comercial com a União Europeia, que o presidente vem pressionando para que seja concluído até o final deste ano.

O Mercosul e a UE chegaram a um acordo em 2019, após duas décadas de negociações, mas está suspenso devido a preocupações ambientais por parte dos países europeus.

Canadá, Coreia do Sul e Cingapura são outros países em negociações para acordos comerciais com o Mercosul. Lula já havia sugerido possíveis acordos com China, Indonésia, Vietnã e países da América Central e do Caribe.

Ele disse nesta segunda-feira que pretende aprofundar a cooperação Brasil-Vietnã em setores como agricultura, educação e defesa, acrescentando que ambos os governos assinaram acordos que abrangem essas áreas durante o encontro.

O acordo agrícola, segundo ele, abrirá ainda mais o mercado do Vietnã para os produtos brasileiros.

Continua após a publicidade

Um memorando de entendimento sobre defesa, acrescentou Lula, foi o "primeiro passo" para um futuro acordo que abriria espaço para o Brasil exportar produtos de defesa para o país asiático, "como aeronaves".

O premiê vietnamita visitou no sábado a sede da fabricante brasileira de aviões Embraer no Estado de São Paulo.

Lula também agradeceu o apoio do Vietnã ao Brasil em sua tentativa de se tornar um membro permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e disse que aceitou o convite de Phạm Minh Chinh para visitar Hanói no próximo ano.

O primeiro-ministro disse ter esperança que "em breve" o Brasil irá reconhecer a situação de economia de mercado do Vietnã, o que disse ser "muito importante para promover os investimentos" no país.

Deixe seu comentário

Só para assinantes