Trabalhadores do UAW na fábrica da GM em Flint votam contra novo acordo 

(Reuters) - Membros do sindicato United Auto Workers (UAW) na fábrica de montagem da General Motors em Flint, em Michigan, votaram por uma pequena diferença contra um acordo proposto com a montadora norte-americana, disse a unidade local do sindicato.

Em um post no Facebook na quinta-feira, o UAW Local 598 disse que 51,8% dos votos expressos foram contra o acordo proposto.

A GM disse que não comentaria durante o processo de ratificação.

A votação sinaliza que a aprovação do acordo, que deverá aumentar significativamente os custos para a GM, não está garantida.

Espera-se que os trabalhadores das outras fábricas da empresa votem o acordo nas próximas semanas.

Trabalhadores sindicalizados estão votando em contratos da Stellantis, proprietária da Chrysler, General Motors e Ford Motor, após o primeiro movimento coordenado contra as três grandes montadoras de Detroit.

A votação na fábrica de montagem de Flint, que fabrica a picape Silverado, ocorre depois que as montadoras de Detroit e o UAW chegaram a acordos provisórios nas últimas semanas para encerrar uma greve custosa após uma maratona de negociações.

O novo acordo do UAW, que abrange 46.000 trabalhadores no total na GM, concede um aumento de 25% no salário base até abril de 2028 e aumentará cumulativamente o salário mais alto em 33%, incluindo novos subsídios de custo de vida negociados.

(Reportagem de Nathan Gomes e Shivansh Tiwary, em Bengaluru)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes