Chefe de governança ambiental e social do JP Morgan pede novo modelo de financiamento para tecnologia verde

LONDRES (Reuters) - Start-ups em alguns segmentos do setor de tecnologia verde, como a agricultura sustentável, estão perdendo capital e precisam de um novo modelo de financiamento, disse um banqueiro sênior do JP Morgan em um evento da Reuters nesta segunda-feira.

"Precisamos criar um modelo de financiamento para empresas de tecnologia verde", afirmou Chuka Umunna, chefe do setor de governança ambiental, social e de investimentos em economia verde para a Europa, Oriente Médio e África do JP Morgan, no evento Reuters Transição Energética Europa 2023, realizado em Londres.

Umunna disse que a maior parte do capital para tecnologia verde estava fluindo para setores como veículos elétricos e energia de baixo carbono, enquanto outros, como ecossistemas alimentares sustentáveis, que "em alguns casos contribuem mais para as emissões globais de gases de efeito estufa", não estavam recebendo o mesmo montante.

Isso se deve, em parte, às exigências de capital para algumas empresas de tecnologia verde nos estágios iniciais de desenvolvimento, afirmou ele.

A destinação de capital para empresas de tecnologia verde em geral não ficou imune às perturbações geopolíticas que "assustaram o mercado", bem como às preocupações com uma fraqueza econômica, disse Umunna.

O ex-parlamentar britânico Umunna também disse que a mudança para uma economia mais verde e com baixo teor de carbono oferece uma enorme oportunidade para bancos como o JP Morgan.

Mas ele disse que o mundo precisa ser "realista sobre o que o setor bancário pode fazer".

"Nosso trabalho é possibilitar e facilitar... a transição. Não estamos em posição de realizar a transição", acrescentou, apontando para as principais áreas de descarbonização sobre as quais os bancos não têm controle, que incluem a reforma dos sistemas de energia e o comportamento do consumidor.

(Por Simon Jessop e Tommy Reggiori Wilkes)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes