China mantém taxas referenciais de empréstimos conforme esperado

XANGAI/CINGAPURA (Reuters) - A China deixou inalteradas as taxas de empréstimos referenciais em uma fixação mensal nesta segunda-feira, correspondendo às expectativas, uma vez que o iuan mais fraco continua a limitar o afrouxamento monetário e as autoridades esperaram para ver os efeitos do estímulo anterior sobre a demanda de crédito.

Dados recentes mostram que a recuperação da segunda maior economia do mundo continua irregular, com a produção industrial e as vendas no varejo surpreendendo positivamente, mas com a deflação ganhando ritmo e com poucos sinais de que o mercado imobiliário se recuperará tão cedo.

Embora a economia ainda precise de mais estímulos, uma escalada do afrouxamento monetário provocaria uma pressão negativa indesejada sobre a moeda chinesa.

A taxa primária de empréstimos de um ano (LPR) foi mantida em 3,45% e a LPR de cinco anos ficou inalterada em 4,20%.

A maioria dos empréstimos novos e pendentes na China é baseada na LPR de um ano, enquanto a taxa de cinco anos influencia o preço das hipotecas.

Em uma pesquisa com 26 observadores do mercado realizada na semana passada, todos os participantes previram que não haveria nenhuma alteração na LPR de um ano ou de cinco anos.

As definições ocorreram depois que o banco central manteve sua taxa de liquidez interbancária de médio prazo na semana passada. A LPR de um ano é ligeiramente atrelada ao instrumento de empréstimo de médio prazo (MLF) e os participantes do mercado normalmente veem as mudanças na MLF como um precursor dos ajustes na LPR.

(Reportagem de Winni Zhou e Tom Westbrook)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes